Búzios: Exposição “Sant’Anna do Nosso Povo” retrata história de cultura e fé

Mostra conta com objetos que relembram trajetória de gerações e pode ser visitada até o dia 26

PROLAGOS 300_250_pix

O Espaço Cultural Zanine, em Búzios, está com uma aparência diferente do que de costume. No lugar das portas de vidro, uma réplica da fachada da Igreja de Santana pode ser avistada de longe. Essa é a referência que os organizadores da exposição “Sant’Anna do nosso povo”, que homenageia a padroeira do balneário, queriam passar e conseguiram. A mostra conta com objetos que relatam a cultura de fé e tradição local. A exposição é gratuita e está aberta à visitação, das 9h às 18h, até o dia 26 de julho. Mais de mil pessoas já visitaram o espaço desde sua abertura, no dia 17 de julho.

Documentos e fotos relembram a trajetória dos 281 anos da padroeira e de seus devotos. O local está todo dedicado a essas lembranças, com figuras de reis de bois, em tamanho real, vestes religiosas, fotos de antigos festeiros e familiares que fazem parte dessa tradição há gerações.

A exposição tem o objetivo de não deixar passar em branco a mais tradicional e antiga cultura religiosa de Búzios. Esse resgate de memórias teve apoio da população que levou os itens que compõem a mostra.

Sobre Sant’Anna

A história conta que, a imagem da Sant’Anna apareceu em um momento de escassez de peixes e grandes enfermidades para o povo buziano. Foi na praia dos Marimbondos, onde atualmente é a Praia dos Ossos, em 1740 que a imagem apareceu pela primeira vez. Sant’Anna, ao ser retirada da água os peixes voltaram a aparecer e as enfermidades foram desaparecendo. Após a construção da capela de Sant’Anna, a imagem deveria ficar de frente para o povo, mas misteriosamente ela se virava para as águas. E é assim que podemos encontrar a Santa até hoje, de frente para a Praia dos Ossos.

Serviço:

Exposição “Sant’Anna do Nosso Povo”

Data: até 26 de julho

Horário: 9h às 18h

Gratuita

Local: Espaço Cultural Zanine fica localizado na Estrada da Usina Velha, n° 600, no Centro da cidade.

Por: Natalia Nabuco, estagiária sob supervisão da jornalista Monique Gonçalves.

Comentários