Falta de vacinas: Cidades da Costa do Sol modificam calendário de imunização por baixa no estoque

Atraso no envio das doses para a segunda aplicação da Coronavac leva municípios a adiarem as datas do calendário de imunização contra a Covid-19

Por: Débora Evelin e Natália Nabuco

Com a operação da Secretaria de Estado de Saúde (SES) para entregar novas doses de vacinas contra a Covid-19, neste domingo (2), municípios do Estado poderão ter um reforço no calendário de imunização. Algumas cidades passaram por modificações nas datas das campanhas por falta de doses no estoque.

Na Região dos Lagos e Costa do Sol, cidades como Maricá, Rio das Ostras, Casimiro de Abreu e Campos fizeram modificações nas aplicações devido à baixa no estoque da Coronavac para a segunda dose. Casos semelhantes também acontecem em outros estados do Brasil, conforme a reportagem exibida pelo “Fantástico” neste domingo (2), programa da Rede Globo.

A Prensa questionou as prefeituras de cidades da Região dos Lagos. O município de Maricá informou que, nas últimas semanas do mês de abril, a vacinação contra a Covid-19 foi interrompida. A prefeitura ressaltou que, além da quantidade insuficiente para imunizar a população dentro do estabelecido pelo Plano Nacional de Imunização (PNI), o recebimento de frascos com quantidade menor da vacina registraram mais perdas do que o esperado.

A possibilidade de suspensão já havia levado o município a abrir ação judicial contra a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com o intuito de obrigar o órgão a retirar os entraves que vem colocando à aquisição da vacina russa Sputnik V.

Em Rio das Ostras, também houve adiamento da segunda dose para algumas faixas etárias do grupo prioritário. A Prefeitura respondeu que, devido à baixa produção e ao atraso no abastecimento das vacinas Coronavac pelo laboratório Butantan, todo o agendamento da 2ª dose dos idosos e profissionais de Saúde vacinados com Coronavac/Butantan precisou ser alterado.

As cidades de Casimiro de Abreu e Campos também confirmaram o adiamento das aplicações. Em Casimiro, as pessoas que tomaram a primeira dose com a Coronavac precisarão aguardar o recebimento de novas doses para dar prosseguimento na imunização.

Já em Campos, a cidade realizou uma suspensão momentânea do calendário de vacinação de 1ª dose dos grupos prioritários, assim como a aplicação da Coronavac. De acordo com a Prefeitura, para esta segunda-feira (3), está mantido apenas a aplicação de 2ª dose para idosos e profissionais da saúde que tomaram a vacina Oxford/AstraZeneca. Assim que chegarem novas doses, o calendário será retomado.

O Ministério da Saúde (MS) recomenda que o intervalo entre as doses da Coronavac deve ser de 2 a 4 semanas. O Instituto Butantan, responsável pela fabricação do imunizante no Brasil, afirmou por meio de nota que a responsabilidade pelo planejamento e logística de distribuição das doses e a orientação para os estados sobre a utilização do estoque é exclusiva do Ministério.

Além do Rio de Janeiro, os atrasos na segunda dose da Coronavac também foram registrados em pelo menos 16 estados, como São Paulo, Espírito Santo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás, entre outros.

Comentários

Windows Lizenz Windows 10 Lizenz Office 2019 Lizenz Kaufen Office 365 kaufen Windows 10 Home kaufen Office 2016 kaufen lisans satın al office 2019 satın al follower kaufen instagram follower kaufen porno