Clarissa Garotinho desponta na disputa pela segunda posição isolada para o Senado

Pesquisa aponta dados que mostram Clarissa no tabuleiro eleitoral com chances de alterar a composição na disputa pelo Senado

PROLAGOS 300_250_pix

A disputa no interior do Estado do Rio por uma vaga ao Senado Federal começou a pegar fogo, a menos de um ano da eleição majoritária de 2022. Mesmo sem ter lançado oficialmente seu nome como pré-candidata, a deputada federal Clarissa Garotinho (PROS) chegou a bater 17% das intenções de voto nos municípios de fora da capital e da Região Metropolitana. Ocupa agora, nessas regiões, a segunda posição isoladamente, de acordo com a última pesquisa feita pela Quaest/O Globo. Natural de Campos dos Goytacazes, Clarissa fica atrás apenas do senador Romário no interior, onde o ex-atleta varia entre 25% e 27%.

Os dados mostram que o nome de Clarissa, posto no tabuleiro eleitoral pela primeira vez, promete alterar a composição de forças na disputa. Romário teve a seu favor o recall por já ser senador da República pelo PL. Mas a análise de assessores próximos à deputada é de que, para uma primeira avaliação, os resultados obtidos por ela foram bastante significativos. No interior, ficou à frente do ex-senador do Republicanos Marcelo Crivella (por volta de 10%) e do deputado federal pelo PSB Alessandro Molon (8%, em um dos cenários). Quando teve seu nome avaliado nessas regiões, o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) também obteve resultado abaixo de Clarissa.

Romário lidera a disputa também quando se leva em consideração a soma dos votos no interior, capital e Região Metropolitana. Mas, mesmo aí, o nome de Clarissa entra para embaralhar a corrida, com 8% da preferência do eleitorado. No cenário sem o nome de Mourão, por exemplo, fica em situação de empate técnico pelo segundo lugar, no limite da margem de erro, com Molon (12%) e Crivella (12%). Romário aparece com 19%. Num segundo cenário, com Mourão, Romário vai a 20%; Crivella e Clarissa mantém 12% e 8%, respectivamente; mas Molon cai para 10%. Nessa simulação, o vice-presidente fica com 12%.

Um detalhe importante é que Clarissa Garotinho ainda está definindo seu partido para as eleições de 2022. Ela e seu pai, o ex-governador Anthony Garotinho (sem partido atualmente), já foram convidados para ingressar no União Brasil, sigla formada recentemente com a fusão do PSL e do DEM. Mas, para que isso aconteça, ela precisa se desligar do PROS. A assessores próximos, a deputada federal tem dito que a ida para o União Brasil é inevitável. Em 2022, só haverá uma vaga aberta para o Senado no Rio.

Pesquisa


A Quaest é um instituto de consultoria e pesquisas quantitativas e qualitativas, e um dos parceiros do Sonar, blog do jornal GLOBO voltado para análise de discursos e conteúdos políticos nas redes sociais. A pesquisa, feita para o GLOBO, entrevistou 1.804 pessoas no Estado do Rio de forma presencial, entre os dias 22 e 26 de outubro. A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais, e o índice de confiança é de 95%.

Comentários estão fechados.