Búzios: Em meio à polêmica vacinação de servidores do Turismo, profissionais que lidam com vulneráveis aguardam sua vez

A Prensa tenta contato com todos os órgãos mencionados para entender qual critério de vacinação está sendo adotado pelo município

A polêmica postagem de um funcionário do setor de Turismo de Búzios, um jovem de menos de 30 anos, ao publicar uma foto em que comemora ter sido vacinado contra a Covid-19, na terça-feira (30), continua repercutindo na cidade e fora dela. Moradores questionam a ação já que o calendário do município prevê a vacinação de idosos apenas e o número de doses é insuficiente para cobrir até mesmo este grupo prioritário.

Prensa teve acesso à informação de que o caso já teria sido encaminhado ao Ministério Público (MP) para que a Prefeitura responda oficialmente sobre o ocorrido, já que não há informações claras sobre o número de vacinados até o momento, situação e faixa etária, além de denúncias que ainda existem profissionais do setor da Saúde que não foram vacinados.

Outro questionamento é porque não houve ampla publicidade da vacinação de guarda municipais e de servidores do Turismo, em paralelo ao previstos pelo Plano Nacional de Imunização (PNI). Ao jornal, a Prefeitura reafirmou o que disse na matéria anterior, que esses funcionários do setor do Turismo foram deslocados para trabalhar na conferência dos QRcodes nas barreiras sanitárias e, por isso, receberam as doses, já que estão trabalhando na “linha de frente”, assim como os Guardas Municipais, que estão nas barreiras desde a última sexta feira (26), quando o superferiado começou no estado do Rio.

O secretário de Turismo Romano Lorenzi também reafirmou as informações oficiais passadas pela comunicação da Prefeitura. Segundo ele, apenas oito profissionais do Turismo foram vacinados. Destes, quatro estão na barreira da Baía Formosa e os outros quatro no entroncamento entre a Rodovia Amaral Peixoto e a RJ-102, que fica de frente para a Escola Agrícola Municipal Nilo Batista, já no território de Cabo Frio e por isso realizada em conjunto com esse município.

No entanto, o questionamento da população fica entorno do porquê desses profissionais do setor do Turismo entrarem agora para o grupo da “linha de frente” enquanto profissionais que realizam atendimento direto a pessoas em situação de vulnerabilidade social, e que continuam realizando suas atividades presenciais, como Conselheiros Tutelares, servidores dos Sistema Único de Assistência Sócia (CRAS e CREAS), e do abrigo municipal, continuam descobertos da primeira dose para a imunização.

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do município (APAE-Búzios), protocolou um pedido para vacinar os funcionários e familiares dos atendidos pela instituição, mas ainda não tiveram resposta.

A Prensa entrou em contato novamente com a Comunicação da Prefeitura, que se limitou a responder que todos serão vacinados a seu tempo, sem apresentar uma previsão. Também afirmou que a Prefeitura cumpre determinações do Ministério Público (MP), da secretaria estadual e do ministério da saúde.

“Com uma quantidade ainda insuficiente, estamos priorizando os mais expostos. No caso, os que trabalham nas barreiras, idosos e profissionais de saúde”, disse a comunicação.

A Prensa também entrou em contato com o MP, pedindo informações de quais recomendações foram feitas pelo órgão à Prefeitura e se incluía a vacinação dos profissionais que atuam direta ou indiretamente nas barreiras.

PRENSA 970X250 GOOGLE CONTEMPLADO INTERTEXTO BARRA
Comentários

Windows Lizenz Windows 10 Lizenz Office 2019 Lizenz Kaufen Office 365 kaufen Windows 10 Home kaufen Office 2016 kaufen lisans satın al office 2019 satın al follower kaufen instagram follower kaufen porno