Menu

Cidades

Besteiras que nos assolam

lula_e_moro

 

Por Fábio Emecê

fabio-emecersss
Fábio Emecê é rapper, professor e ativista antrracismo

Antes de mais nada, não acredito no PT e nem no Lula como possíveis salvadores da pátria diante dos golpistas atuais. Não significa que seja eleitor do Bolsonaro, Ciro ou Marina. Nunca fui anarquista como dizem que sou e me colocar apenas como preto ou de esquerda não comporta muita coisa nos tempos atuais.

O espetáculo atual de temas semanais e a interpelação do Moro ao Lula nos remetem ao Stanislaw Ponte Preta e seu FeBeaPá. O festival de besteiras que assola o país vem com força total, em todas instâncias: legislativo, executivo, judiciário, imprensa, redes sociais, educação, mídia, ou seja, a porcaria toda.

Difícil escapar de um jogo de cena, um interrogatório bizarro, um ato-show ou uma greve que tem hora pra acabar, antes dela acontecer. Ainda tem palavras de ordem e tentativa de convencimento em carro de som que PM é tão trabalhador como nós. E na rebarba de se mostrar indignado com alguma coisa, pouca coisa é questionada de fato, como o sistema democrático atual, por exemplo.

E na construção de mitos, sem os mesmos terem morrido ou terem feito algo espetacular (Lula – por exemplo), caminhamos em direção a extinção de qualquer parâmetro para se identificar o que é realmente sério e o que realmente vale a pena no universo de direitos e deveres nossos. Quais são mesmo?

Inocente ou culpado, reformas são colocadas em pauta simplesmente pelo abandono da seriedade e do foco de mobilização. Esquece-se o real, prefere-se a representação. Passeatas facilmente reprimidas pelas forças de coerção, por conta das mesmas fazerem conferências, congressos e encontros onde se apresentam tecnologias e táticas para se conter grandes manifestações, inclusive com confecção em pleno desenvolvimento e sofisticação de aparelhos exclusivos.

Entender-se como atrasado e despreparado para conter ou travar decisões corporativas, travestidas de políticas, faz parte, oh, e como faz. Noam Chomsky diz que um dos sintomas de convulsão social atual é a população ter um entendimento inconsciente que a grande parte das decisões do topo da hierarquia não passa nem perto deles. O povo se revoltando dentro dos moldes estabelecidos atualmente ou não, não faz diferença.

O que isso traz? Raiva, angustia, frustração, depressão e entreguismo. O povo se mata e a hierarquia continua firme e forte em seu contexto e é usada como exemplo de solução de nossos problemas do passado, do presente e do futuro. A besteira toma forma de conhecimento acadêmico e o sistêmico é apenas sistêmico no show da avenida paulista.

Rejeitar o processo atual é uma opção viável e se sentir capenga pra propor algo além disso é a realidade. Sou apenas um professor da rede estadual sendo detonado pela chapa Cabral/Pezão/Dornelles que foi apoiada por Lula/Dilma e temos o teleférico desativado e Rafael Braga preso.

Tá bom, fui verborrágico! Fazendo coro pra porcaria nenhuma! Isto é Brasil…

 

Leia mais coisas de Fábio Emecê no LINK 

Escute o som do Fábio no  LINK 

Besteiras que nos assolam

lula_e_moro

 

Por Fábio Emecê

fabio-emecersss
Fábio Emecê é rapper, professor e ativista antrracismo

Antes de mais nada, não acredito no PT e nem no Lula como possíveis salvadores da pátria diante dos golpistas atuais. Não significa que seja eleitor do Bolsonaro, Ciro ou Marina. Nunca fui anarquista como dizem que sou e me colocar apenas como preto ou de esquerda não comporta muita coisa nos tempos atuais.

O espetáculo atual de temas semanais e a interpelação do Moro ao Lula nos remetem ao Stanislaw Ponte Preta e seu FeBeaPá. O festival de besteiras que assola o país vem com força total, em todas instâncias: legislativo, executivo, judiciário, imprensa, redes sociais, educação, mídia, ou seja, a porcaria toda.

Difícil escapar de um jogo de cena, um interrogatório bizarro, um ato-show ou uma greve que tem hora pra acabar, antes dela acontecer. Ainda tem palavras de ordem e tentativa de convencimento em carro de som que PM é tão trabalhador como nós. E na rebarba de se mostrar indignado com alguma coisa, pouca coisa é questionada de fato, como o sistema democrático atual, por exemplo.

E na construção de mitos, sem os mesmos terem morrido ou terem feito algo espetacular (Lula – por exemplo), caminhamos em direção a extinção de qualquer parâmetro para se identificar o que é realmente sério e o que realmente vale a pena no universo de direitos e deveres nossos. Quais são mesmo?

Inocente ou culpado, reformas são colocadas em pauta simplesmente pelo abandono da seriedade e do foco de mobilização. Esquece-se o real, prefere-se a representação. Passeatas facilmente reprimidas pelas forças de coerção, por conta das mesmas fazerem conferências, congressos e encontros onde se apresentam tecnologias e táticas para se conter grandes manifestações, inclusive com confecção em pleno desenvolvimento e sofisticação de aparelhos exclusivos.

Entender-se como atrasado e despreparado para conter ou travar decisões corporativas, travestidas de políticas, faz parte, oh, e como faz. Noam Chomsky diz que um dos sintomas de convulsão social atual é a população ter um entendimento inconsciente que a grande parte das decisões do topo da hierarquia não passa nem perto deles. O povo se revoltando dentro dos moldes estabelecidos atualmente ou não, não faz diferença.

O que isso traz? Raiva, angustia, frustração, depressão e entreguismo. O povo se mata e a hierarquia continua firme e forte em seu contexto e é usada como exemplo de solução de nossos problemas do passado, do presente e do futuro. A besteira toma forma de conhecimento acadêmico e o sistêmico é apenas sistêmico no show da avenida paulista.

Rejeitar o processo atual é uma opção viável e se sentir capenga pra propor algo além disso é a realidade. Sou apenas um professor da rede estadual sendo detonado pela chapa Cabral/Pezão/Dornelles que foi apoiada por Lula/Dilma e temos o teleférico desativado e Rafael Braga preso.

Tá bom, fui verborrágico! Fazendo coro pra porcaria nenhuma! Isto é Brasil…

 

Leia mais coisas de Fábio Emecê no LINK 

Escute o som do Fábio no  LINK 

NOTÍCIAS DE GRAÇA NO SEU CELULAR

A Prensa está sempre se adaptando às novas ferramentas de distribuição do conteúdo produzido pela nossa equipe de reportagem. Você pode receber nossas matérias através da comunidade criada nos canais de mensagens eletrônicas Whatsaap e Telegram. Basta clicar nos links e participar, é rápido e você fica por dentro do que rola na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Faça parte da nossa comunidade no Whatsapp e Telegram:

Se você quer participar do nosso grupo, a gente vai te contar como vai ser agorinha mesmo. Se liga:

  • As nossas matérias chegam pra você a cada 1h, de segunda a sábado. Informações urgentes podem ser enviadas a qualquer momento.
  • Somente os administradores podem mandar os informes e realizar alterações no grupo. Além disso, estamos sempre monitorando quem são os participantes.
  • Caso tenha alguma dificuldade para acessar o link das matérias, basta adicionar o número (22) 99954-6926 na sua lista de contatos.

Nos ajude a crescer, siga nossas redes Sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Tik Tok e Youtube

Veja Também

Lipo HD: cirurgião plástico esclarece como é feita

Gestores de indústrias palestram sobre sucesso na gestão

Susana Vieira quita dívida de IPTU em Búzios após processo judicial

Petrobras atualiza valor de dividendos em movimento estratégico

Coluna da Angela

A reprodução parcial deste conteúdo por veículos de comunicação é permitida desde que contenha crédito à Prensa de Babel na abertura do
texto, bem como LINK para o site "www.prensadebabel.com.br"
A supressão da fonte pode implicar em medidas de acordo com a lei de direitos autorais.