Menu

Cidades

Entidade afirma que tratamento dental é direito de todos

O Brasil é considerado pela Organização das Nações Unidas (ONU) um dos melhores formadores de cirurgiões-dentistas do mundo, além de liderar o ranking mundial como o país com maior número desses profissionais.

Segundo dados do Conselho Federal de Odontologia (CFO), em 2010 19% dos cirurgiões dentistas do mundo eram brasileiros, o que representa cerca 220 mil profissionais. Após 11 anos, o número cresceu 51%. O país contabiliza 330 mil dentistas formados com aproximadamente 210 mil auxiliares e técnicos de prótese dentária e saúde bucal, de acordo com o levantamento do CFO de agosto de 2021.

“Em um país com tantos profissionais nessa área, é um paradoxo termos tantas pessoas sem acesso à saúde bucal. Pesquisa realizada pelo IBGE em 2019 e divulgada em setembro de 2020 apontou que dos 162 milhões de brasileiros acima de 18 anos, 34 milhões perderam 13 dentes ou mais e 14 milhões perderam todos os dentes”, lamenta o cirurgião dentista e professor, Mario Cappellette Jr., presidente da Associação Brasileira de Odontologia de São Paulo – ABO-SP

De acordo com o profissional, parcela significativa da população desconhece que as doenças bucais podem desencadear outros problemas de saúde, incluindo questões cardíacas. “Essa falta de consciência destaca a importância de promover a compreensão sobre a relação entre a saúde bucal e o bem-estar geral, enfatizando a necessidade de cuidados preventivos para preservar não apenas a saúde oral, mas também prevenir complicações em outras áreas do corpo”, alerta Cappellette Jr.

A Associação Brasileira de Odontologia de São Paulo – ABO-SP, que promove cursos de especialização em diversos temas da odontologia, também realiza atendimentos à população que mais necessita praticando preços de custo de material, apenas, indo ao encontro da promoção e disseminação da saúde bucal. “Mas precisamos de uma iniciativa mais ampla como política de Estado”, afirma.

Cappellette Jr ainda alerta para a importância de as gestantes terem acesso ao tratamento odontológico no período pré-natal. “Problemas na boca interferem no bom funcionamento do organismo e podem colocar em risco a gestação. Focos de infecção de origem odontológica, principalmente a periodontite, aumentam as chances de parto prematuro e nascimento de crianças com baixo peso. As doenças periodontais, como por exemplo inflamação ou infecção nas gengivas, devem ser tratadas para não evoluírem”, explica.

O cirurgião-dentista revela que no Brasil, apesar de o país ser líder em número de profissionais no mundo e receber o reconhecimento de um dos melhores na formação, o acesso da maioria da população ao tratamento odontológico pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ainda é muito restrito. E, quando o cidadão é “contemplado” com o atendimento, o serviço é muito básico.

“Precisamos investir em prevenção, que tem baixo custo e é muito eficiente. Posso afirmar que 90% dos problemas bucais são resolvidos com a boa higiene da boca e orientação. Reforço também a importância dos investimentos em políticas públicas para essa finalidade. A educação das crianças nas escolas, para cuidarem bem dos seus dentes e da boca, de forma geral, é imprescindível. Ter acesso ao atendimento odontológico é tão importante quanto uma consulta médica”, finaliza o presidente da ABO-SP.

Entidade afirma que tratamento dental é direito de todos

O Brasil é considerado pela Organização das Nações Unidas (ONU) um dos melhores formadores de cirurgiões-dentistas do mundo, além de liderar o ranking mundial como o país com maior número desses profissionais.

Segundo dados do Conselho Federal de Odontologia (CFO), em 2010 19% dos cirurgiões dentistas do mundo eram brasileiros, o que representa cerca 220 mil profissionais. Após 11 anos, o número cresceu 51%. O país contabiliza 330 mil dentistas formados com aproximadamente 210 mil auxiliares e técnicos de prótese dentária e saúde bucal, de acordo com o levantamento do CFO de agosto de 2021.

“Em um país com tantos profissionais nessa área, é um paradoxo termos tantas pessoas sem acesso à saúde bucal. Pesquisa realizada pelo IBGE em 2019 e divulgada em setembro de 2020 apontou que dos 162 milhões de brasileiros acima de 18 anos, 34 milhões perderam 13 dentes ou mais e 14 milhões perderam todos os dentes”, lamenta o cirurgião dentista e professor, Mario Cappellette Jr., presidente da Associação Brasileira de Odontologia de São Paulo – ABO-SP

De acordo com o profissional, parcela significativa da população desconhece que as doenças bucais podem desencadear outros problemas de saúde, incluindo questões cardíacas. “Essa falta de consciência destaca a importância de promover a compreensão sobre a relação entre a saúde bucal e o bem-estar geral, enfatizando a necessidade de cuidados preventivos para preservar não apenas a saúde oral, mas também prevenir complicações em outras áreas do corpo”, alerta Cappellette Jr.

A Associação Brasileira de Odontologia de São Paulo – ABO-SP, que promove cursos de especialização em diversos temas da odontologia, também realiza atendimentos à população que mais necessita praticando preços de custo de material, apenas, indo ao encontro da promoção e disseminação da saúde bucal. “Mas precisamos de uma iniciativa mais ampla como política de Estado”, afirma.

Cappellette Jr ainda alerta para a importância de as gestantes terem acesso ao tratamento odontológico no período pré-natal. “Problemas na boca interferem no bom funcionamento do organismo e podem colocar em risco a gestação. Focos de infecção de origem odontológica, principalmente a periodontite, aumentam as chances de parto prematuro e nascimento de crianças com baixo peso. As doenças periodontais, como por exemplo inflamação ou infecção nas gengivas, devem ser tratadas para não evoluírem”, explica.

O cirurgião-dentista revela que no Brasil, apesar de o país ser líder em número de profissionais no mundo e receber o reconhecimento de um dos melhores na formação, o acesso da maioria da população ao tratamento odontológico pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ainda é muito restrito. E, quando o cidadão é “contemplado” com o atendimento, o serviço é muito básico.

“Precisamos investir em prevenção, que tem baixo custo e é muito eficiente. Posso afirmar que 90% dos problemas bucais são resolvidos com a boa higiene da boca e orientação. Reforço também a importância dos investimentos em políticas públicas para essa finalidade. A educação das crianças nas escolas, para cuidarem bem dos seus dentes e da boca, de forma geral, é imprescindível. Ter acesso ao atendimento odontológico é tão importante quanto uma consulta médica”, finaliza o presidente da ABO-SP.

NOTÍCIAS DE GRAÇA NO SEU CELULAR

A Prensa está sempre se adaptando às novas ferramentas de distribuição do conteúdo produzido pela nossa equipe de reportagem. Você pode receber nossas matérias através da comunidade criada nos canais de mensagens eletrônicas Whatsaap e Telegram. Basta clicar nos links e participar, é rápido e você fica por dentro do que rola na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Faça parte da nossa comunidade no Whatsapp e Telegram:

Se você quer participar do nosso grupo, a gente vai te contar como vai ser agorinha mesmo. Se liga:

  • As nossas matérias chegam pra você a cada 1h, de segunda a sábado. Informações urgentes podem ser enviadas a qualquer momento.
  • Somente os administradores podem mandar os informes e realizar alterações no grupo. Além disso, estamos sempre monitorando quem são os participantes.
  • Caso tenha alguma dificuldade para acessar o link das matérias, basta adicionar o número (22) 99954-6926 na sua lista de contatos.

Nos ajude a crescer, siga nossas redes Sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Tik Tok e Youtube

Veja Também

Medicamento mais estudado do mundo celebra 125 anos

Exposição Internacional convoca indústria de base florestal

Asma continua causando número elevado de mortes no Brasil

Terra pode alcançar 2,9°C até o fim do século

Coluna da Angela

A reprodução parcial deste conteúdo por veículos de comunicação é permitida desde que contenha crédito à Prensa de Babel na abertura do
texto, bem como LINK para o site "www.prensadebabel.com.br"
A supressão da fonte pode implicar em medidas de acordo com a lei de direitos autorais.