Menu

Cidades

Uma professora sequestrada no domingo e vans assaltadas nesta segunda-feira

assalto-armado

Victor Viana

assalto-armado
Assaltos estão se tornando comuns em Búzios. Imagem ilustrativa

Uma moradora de Búzios, que atua como professora no município foi, de acordo com ela, vítima de um sequestro relâmpago por volta das 12h40 do último domingo, 08, no bairro Bosque de Geribá. A professora conta que foi abordada por um homem armado que invadiu seu veículo e tomou a direção a levando com ele até o bairro Marina, onde a deixou e seguiu com seu carro.  E na manhã desta segunda-feira, 09, duas vans que fazem o transporte alternativo no município foram assaltadas.

 

De acordo com o proprietário da van que fazia o trajeto Rasa x Centro, dois homens armados entraram na van lotada e levaram  dinheiro e objetos de valor como celulares, próximos ao bairro Marina desceram e fugiram a pé.  Ainda no período da manhã outra van foi assaltada, também na altura da Marina. Populares informaram que o veiculo foi parado por dois homens, um deles escondia um objeto debaixo da camisa – supostamente uma arma de fogo. Também foram levados dinheiro e celulares dos passageiros, e também do motorista.

 

Nossa equipe fez contato com a cooperativa que informou que dois suspeitos foram detidos ainda pela manhã e que passageiros e o motorista da van que sofreu o assalto foram para a 127ª DP (Búzios) para fazer  o reconhecimento.

 

O 25º BPM informou que logo após o registro de ocorrência do sequestro relâmpago seguido de roubo do carro da professora o patrulhamento foi intensificado uma operação foi montada e nesta segunda-feira o veiculo foi recuperado no bairro São José, ainda em Búzios.  A proprietária já foi avisada.

 

Desde meados do ano passado a sensação de insegurança cresceu em Búzios por conta de casos semelhantes a esses ocorridos no curto espaço de dois dias. No dia 20/12/2016 foi noticia em diversos veículos o caso dos quatro homens que promoveram um verdadeiro arrastão na Cidade, no espaço de cinco horas assaltaram estabelecimentos, roubaram carros, motos, e realizaram sequestros relâmpagos e diferentes bairros.

 

Não é também a primeira vez que o transporte alternativo é alvo de assaltantes: Também nos últimos dias do recém findado 2016, uma van  que seguia para o centro de Búzios dois homens (o padrão dos assaltos parece se repetir) renderam  motoristas e passageiros levando com eles dinheiro e pertences das vítimas.  Mais dois fatos muito semelhantes a este também aconteceram ainda no último mês do ano passado.

Além de assaltos também foram desde então registrados tráfico de drogas, troca de tiros, estupros, assassinatos, fazendo o índice de criminalidade de a península aumentar consideravelmente, assustando moradores e turistas acostumados a uma cidade tranquila.

 

Violência contra mulheres, um problema mais profundo

 

prefeitura-promove-16-dias-de-ativismo-pelo-fim-da-violencia-contra-mulher-e1415995786278-735x310
A violência contra a mulher, em especial o estupro, é uma triste cultura que oprime e devasta a vida de milhares de brasileiras. Em Búzios não é diferente.

Uma mulher de 34 anos foi estuprada em Armação dos Búzios no  final de 2016. Mesmo sendo uma data não tão recente, o crime continua em repercussão no município. De acordo com o boletim policial da época, a vítima, que foi internada no Hospital Rodolfo Perissé, foi violentada dentro da própria casa por um homem que invadiu a residência com uma faca.

Um grupo de mulheres da Cidade está organizando passeatas e encontros como forma de denunciar o alto grau de violência contra a mulher, em especial o estupro, em Búzios. O grupo quer por em evidência que, de acordo com as lideres do movimento, moradoras e turistas estão sendo violentadas de forma constante na cidade e, no entanto, não há ainda uma política de segurança para assegurar a integridade física e psicológica das mulheres no município.

“A cidade está se perdendo entre estupros, roubos e sujeira… por isso queremos dar o nosso parecer na rua. Na voz de muitas e muitos. Divulguem para fazer mais força juntos”, informou em nota o Movimento de Mulheres de Búzios.

Matéria relacionadas abaixo. 

https://prensadebabel.com.br/index.php/2017/01/10/policiamento-e-reforcado-em-buzios-apos-onda-de-assaltos-mao-armada/

https://prensadebabel.com.br/index.php/2016/12/21/mulheres-de-buzios-denunciam-cultura-do-estupro-na-cidade/

Uma professora sequestrada no domingo e vans assaltadas nesta segunda-feira

assalto-armado

Victor Viana

assalto-armado
Assaltos estão se tornando comuns em Búzios. Imagem ilustrativa

Uma moradora de Búzios, que atua como professora no município foi, de acordo com ela, vítima de um sequestro relâmpago por volta das 12h40 do último domingo, 08, no bairro Bosque de Geribá. A professora conta que foi abordada por um homem armado que invadiu seu veículo e tomou a direção a levando com ele até o bairro Marina, onde a deixou e seguiu com seu carro.  E na manhã desta segunda-feira, 09, duas vans que fazem o transporte alternativo no município foram assaltadas.

 

De acordo com o proprietário da van que fazia o trajeto Rasa x Centro, dois homens armados entraram na van lotada e levaram  dinheiro e objetos de valor como celulares, próximos ao bairro Marina desceram e fugiram a pé.  Ainda no período da manhã outra van foi assaltada, também na altura da Marina. Populares informaram que o veiculo foi parado por dois homens, um deles escondia um objeto debaixo da camisa – supostamente uma arma de fogo. Também foram levados dinheiro e celulares dos passageiros, e também do motorista.

 

Nossa equipe fez contato com a cooperativa que informou que dois suspeitos foram detidos ainda pela manhã e que passageiros e o motorista da van que sofreu o assalto foram para a 127ª DP (Búzios) para fazer  o reconhecimento.

 

O 25º BPM informou que logo após o registro de ocorrência do sequestro relâmpago seguido de roubo do carro da professora o patrulhamento foi intensificado uma operação foi montada e nesta segunda-feira o veiculo foi recuperado no bairro São José, ainda em Búzios.  A proprietária já foi avisada.

 

Desde meados do ano passado a sensação de insegurança cresceu em Búzios por conta de casos semelhantes a esses ocorridos no curto espaço de dois dias. No dia 20/12/2016 foi noticia em diversos veículos o caso dos quatro homens que promoveram um verdadeiro arrastão na Cidade, no espaço de cinco horas assaltaram estabelecimentos, roubaram carros, motos, e realizaram sequestros relâmpagos e diferentes bairros.

 

Não é também a primeira vez que o transporte alternativo é alvo de assaltantes: Também nos últimos dias do recém findado 2016, uma van  que seguia para o centro de Búzios dois homens (o padrão dos assaltos parece se repetir) renderam  motoristas e passageiros levando com eles dinheiro e pertences das vítimas.  Mais dois fatos muito semelhantes a este também aconteceram ainda no último mês do ano passado.

Além de assaltos também foram desde então registrados tráfico de drogas, troca de tiros, estupros, assassinatos, fazendo o índice de criminalidade de a península aumentar consideravelmente, assustando moradores e turistas acostumados a uma cidade tranquila.

 

Violência contra mulheres, um problema mais profundo

 

prefeitura-promove-16-dias-de-ativismo-pelo-fim-da-violencia-contra-mulher-e1415995786278-735x310
A violência contra a mulher, em especial o estupro, é uma triste cultura que oprime e devasta a vida de milhares de brasileiras. Em Búzios não é diferente.

Uma mulher de 34 anos foi estuprada em Armação dos Búzios no  final de 2016. Mesmo sendo uma data não tão recente, o crime continua em repercussão no município. De acordo com o boletim policial da época, a vítima, que foi internada no Hospital Rodolfo Perissé, foi violentada dentro da própria casa por um homem que invadiu a residência com uma faca.

Um grupo de mulheres da Cidade está organizando passeatas e encontros como forma de denunciar o alto grau de violência contra a mulher, em especial o estupro, em Búzios. O grupo quer por em evidência que, de acordo com as lideres do movimento, moradoras e turistas estão sendo violentadas de forma constante na cidade e, no entanto, não há ainda uma política de segurança para assegurar a integridade física e psicológica das mulheres no município.

“A cidade está se perdendo entre estupros, roubos e sujeira… por isso queremos dar o nosso parecer na rua. Na voz de muitas e muitos. Divulguem para fazer mais força juntos”, informou em nota o Movimento de Mulheres de Búzios.

Matéria relacionadas abaixo. 

https://prensadebabel.com.br/index.php/2017/01/10/policiamento-e-reforcado-em-buzios-apos-onda-de-assaltos-mao-armada/

https://prensadebabel.com.br/index.php/2016/12/21/mulheres-de-buzios-denunciam-cultura-do-estupro-na-cidade/

NOTÍCIAS DE GRAÇA NO SEU CELULAR

A Prensa está sempre se adaptando às novas ferramentas de distribuição do conteúdo produzido pela nossa equipe de reportagem. Você pode receber nossas matérias através da comunidade criada nos canais de mensagens eletrônicas Whatsaap e Telegram. Basta clicar nos links e participar, é rápido e você fica por dentro do que rola na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Faça parte da nossa comunidade no Whatsapp e Telegram:

Se você quer participar do nosso grupo, a gente vai te contar como vai ser agorinha mesmo. Se liga:

  • As nossas matérias chegam pra você a cada 1h, de segunda a sábado. Informações urgentes podem ser enviadas a qualquer momento.
  • Somente os administradores podem mandar os informes e realizar alterações no grupo. Além disso, estamos sempre monitorando quem são os participantes.
  • Caso tenha alguma dificuldade para acessar o link das matérias, basta adicionar o número (22) 99954-6926 na sua lista de contatos.

Nos ajude a crescer, siga nossas redes Sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Tik Tok e Youtube

Veja Também

Bell Marques lança “100% Você”, empresa de suplementação

Portalmad Portas e Janelas investe em madeira sustentável

Lances para leilões on-line de bens de apartamentos decorados estão abertos

Piscinas devem ter uso consciente da água, diz especialista

Coluna da Angela

A reprodução parcial deste conteúdo por veículos de comunicação é permitida desde que contenha crédito à Prensa de Babel na abertura do
texto, bem como LINK para o site "www.prensadebabel.com.br"
A supressão da fonte pode implicar em medidas de acordo com a lei de direitos autorais.