Thomas Weber: “novos rumos para o turismo de Búzios“

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Por Gustavo Henrique Medeiros

Foto: Gustavo Henrique Medeiros
Foto: Gustavo Henrique Medeiros

Ao assumir recentemente a presidência do Búzios Convention & Visitors Bureau (BC&VB) para um mandato complementar de dois anos, 2017/2018, o empresário Thomas Weber anunciou uma série de medidas que vão dar novos rumos ao turismo de Búzios. Entre elas, dar sequência a participação de Búzios em eventos turísticos no Brasil e no exterior; o fortalecimento das entidades ligadas ao turismo através do “Pacto de Entidades Empresariais”, unindo todas elas – Associação de Hotéis, SindSol, Associação Comercial e Empresarial, Associação de Pousadas e Convention & Visitors Bureau; além de um trabalho em conjunto com a Secretaria Municipal de Turismo reunindo uma série de ações, como a elaboração de um calendário de eventos. O Grupo das entidades estará contribuindo, sobremaneira, com melhorias em diversas áreas como saneamento básico, coleta domiciliar de lixo, segurança e no combate a ilegalidade no comércio da cidade.

Weber participou com outros empresários da fundação do Búzios Convention e Visitors Bureau, em novembro de 1997, com a missão de atrair visitantes, promovendo o município como destino incrível para eventos e lazer. Há 35 anos morando em Búzios, o empresário, referência no turismo local, é presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (SindSol), membro do Conselho Fiscal da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), é também fundador e membro das diretorias da Associação de Hotéis de Búzios (AHB) e da Associação Comercial e Empresarial de Búzios (ACEB). Para Thomas Weber, o turismo de Búzios ganhará “novos rumos“, através de um trabalho em conjunto com as entidades do turismo e Poder Público:

– Vamos dar mais atenção, sempre através de um trabalho em conjunto, ao calendário de eventos do município, com a ampliação do Festival Gastronômico e a criação de outro Festival dedicado a gastronomia, em dezembro, tendo, provavelmente, a lagosta como prato principal e abrindo o verão de Búzios. Obviamente, apoiar o simpático Festival da Sardinha, já realizado em agosto do ano passado, no campo da Sociedade Esportiva de Búzios (SEB). Vamos movimentar outros eventos, como esportes náuticos, religiosos, aventura e esportivo, como golfe, bike, motociclismo, dentre outros. – antecipou o empresário.

TURISMO ESTADUAL E NACIONAL

O empresário entende que o Ministério do Turismo está bastante enfraquecido devido à falta de recursos, impedido de atender a grande demanda o setor no país. Na esfera estadual, continua, sofre do mesmo problema:

– No estado do Rio de Janeiro, estamos sofrendo com a imagem negativa em virtude da insegurança que reflete, certamente, em todos os municípios. Quando as pessoas ouvem que Búzios fica próximo ao Rio de Janeiro, elas se assustam. Outro problema grave que enfrentamos, é a questão do acesso viário com enormes engarrafamentos prejudicando o acesso a região. O turista que vem para a região e retornam para a sua cidade de origem nunca sabe a duração da viagem, se é de duas ou oito horas. É um grande problema para o turismo da região principalmente, nos feriados prolongados. No de carnaval, como exemplo, é delicado. A capital investiu nos blocos de Rua – são centenas. Isso melhorou a imagem do carnaval carioca. Por sinal, neste período, o carioca é o principal cliente e ele prefere ficar no Rio, que enfrentar longos engarrafamentos para curtir as belezas de nossa região. O acesso para as cidades da Região dos Lagos é um inimigo em potencial, bastante precário – explicou Thomas, acrescentando que o acesso aéreo para a região também é deficitário, com “pinga pinga “ de vôos regulares para o Aeroporto Internacional de Minas Gerais e São Paulo.

TRABALHO MAIS CONSCIENTE

De acordo com o empresário, é público e notório que Búzios sofre com outros problemas, como a falta de operacionalidade do Aeroporto de Búzios em fase de reestruturação; precariedade do abastecimento de águas, um trabalho mais consciente na questão ambiental; segurança e a informalidade reinando em todas as nossas cidade:

– A falta de atenção dos Poderes Públicos da Região, em função do mimo dos royalties do petróleo, provocou em décadas a incapacidade de aumentar a base de pagantes para aumentar a arrecadação própria. Isso, no entanto, levou a um desequilíbrio brutal, onde existe a ilegalidade em todos os setores, nos municípios da Região dos Lagos – ressaltou Weber.

Sobre a concorrência clara de locação por temporada no setor dos meios de hospedagem, o empresário disse ressaltou que  “é uma situação similar a  questão do UBRER para o táxi”:

– Os imóveis são locados, por diárias ou temporada, de forma totalmente descontrolada, não arrecada imposto e gera uma concorrência inacreditável. Temos casos de funcionários da rede hoteleira que são treinados, carteira assinada, férias, décimo terceiro e todos os encargos, vale transporte, plano de saúde, todo esse tipo de assistência, para fazer “bicos” em estabelecimentos ilegais como diaristas. Thomas Weber finalizou, prometendo muito trabalho, dedicação e emprenho por parte das entidades com o Poder Público, visando, unicamente, uma melhor qualidade de vida para os moradores e turistas que nos visitam.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Últimas Notícias

CADÊ A LIBERDADE SINDICAL?

Sindipetro-NF denuncia Petrobras por falta de liberdade sindical

OPINIÃO: Desmistificando a entrega voluntária para adoção

DIA DOS PAIS

Shopping Park Lagos, em Cabo Frio, promove show dos Paralamas do Sucesso para celebrar Dia dos Pais

PREVENÇÃO NO TRÂNSITO

Especialista em trânsito alerta sobre riscos de acidentes ao realizar ultrapassagem

Macaé realiza audiência pública sobre “Liberdade Religiosa”

Eleições 2022

Washington Reis aceita convite de Cláudio Castro e será seu vice nas eleições 2022