Queima de fogos no Píer do Centro em Búzios não tinha autorização do Corpo de Bombeiros

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Município pegou “carona” em licitação de Saquarema para contratar prestadora de serviço, apontada como inexperiente para o trabalho

PROLAGOS 300_250_pix

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) informou à Prensa que a queima de fogos do Réveillon 2021/2022, ocorrida no Píer do Centro, localizado na Rua das Pedras, não possuía autorização da corporação para ser realizada.

Nesse local os fogos explodiram e os rojões atingiram o público que estava na areia da praia. Nas redes sociais pessoas relataram ferimentos leves, mas o funcionário da empresa Fortinelli Produções e Eventos, que realizou o show pirotécnico no balneário, teve boa parte do corpo queimado.

O Corpo de Bombeiros ainda não respondeu se nos outros quatro pontos da cidade tinham autorização e nem qual seria o procedimento adotado diante desse incidente, uma vez que o parecer do órgão é fundamental para a segurança dos eventos.

A Prensa questionou a Prefeitura e aguarda resposta.

“Carona” na licitação de Saquarema

Analisando o processo de licitação, o vereador Raphael Braga compartilhou que o município pegou “carona” na licitação de Saquarema para contratar Fortinelli Produções e Eventos, empresa que prestou serviços para o município na queima de fogos do Réveillon.

Esse modelo de adesão a ata de registro de preços aproveitando o outras entidades é permitido pela nova Lei de Licitações, mas o que teria passado desapercebido, ou não, é que na ata do certame do município vizinho uma empresa concorrente, a Inside FX Efeitos Especiais, teria sinalizado que Fortinelli não tinha experiência com fogos e nem poderia fornecer material explosivo.

Durante o pregão presencial que ocorreu no dia 21 de outubro de 2021, a Inside alegou que:

A empresa vencedora em nenhum momento traz objeto de shows pirotécnicos, não trazendo nem em seu contrato, nem no cartão CNPJ e nem no alvará de funcionamento. Como está sendo contratado fornecimento e material, verifiquei que a empresa é somente prestadora de serviços, o que dispensa o registro do Exército, mas não se encontra de acordo com o objeto por não poder fornecer material. O contrato social da vencedora não está registrado na Junta Comercial do Rio de Janeiro e não tem nenhum tipo de registro. O balanço patrimonial da empresa não consta registro na Junta Comercial e no balanço encontra-se somente reconhecimento das firmas dos assinantes, a meu ver não tem valor jurídico”, alegou a empresa concorrente.

Segundo o parlamentar, esse modelo de contrato chamado “carona” tem sido muito usado pelo município e, apesar de ser lícito, não dá oportunidade para empresas da cidade.

“Essa modalidade não traz economicidade e não dá oportunidade para empresas da cidade, o que ocorre é que gera recurso para outro município. Não se sabe se o município viu ou se não deu atenção para esse apontamento da empresa concorrente, mas era uma informação importante que deveria ser observada”, disse o parlamentar.

A Prensa perguntou ao município o porquê teria deixado passar a observação da empresa concorrente na ata de tomada de preços sobre a falta de experiência, além da quantidade de licitações nesse modelo de “carona” que o município tem adotado, e aguarda o posicionamento.

Em nota, a empresa Fortinelli Produções e Eventos, disse que “é devidamente habilitada para a prestação de serviços técnicos de shows pirotécnicos, realizado a prestação de serviços para setores públicos e privados. Disse ainda que na virada do ano, realizou a queima de fogos em diversos municípios da região dos Lagos, destacamos os municípios de Saquarema, Cabo Frio e Armação dos Búzios, o que comprova a aptidão da empresa, ressaltando que todos os requisitos legais para a realização de show pirotécnico (licenças, certidões, pessoal técnico, etc.) foram respeitados e cumpridos pela empresa”. A nota termina dizendo que “no local possuía brigada de incêndio, funcionários devidamente qualificados para sanar o pequeno incidente ocorrido e que todas as normas legais foram cumpridas”.

Esta matéria foi atualizada às 17h51 com a chegada da nota da empresa Fortinelli Produções e Eventos. Vale destacar que a Prensa tenta contato com a empresa desde terça-feira (4) em busca de um posicionamento sobre o caso, todos sem sucesso até então.

Leia mais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email