Menu

Cidades

A política como ela é (e não como deveria ser)

cortads

 

Por Sandro Peixoto

 

cortads
Foto de quando eram o secretário de Serviços Públicos, Miguel Pereira e o Coordenador de Posturas da Ordem Pública, João Carlos Dom. Foto JBS Notícias

Para tentar se eleger vereador, prefeito, deputado, governador, senador ou presidente a pessoa depende de um verdadeiro séquito e de muito dinheiro. São cabos eleitorais e pessoas simples que se engajam na campanha (todos, absolutamente todos recebem uma boa grana) para difundir o nome majoritário. Eleito e líder, seria imaginável que quem recebeu para fazer campanha fosse para casa com a sensação de dever cumprido. Isso seria regra num mundo ideal. A palavra ideal vem de ideia, ou seja, algo ideal é aquilo que só existe na ideia e não na vida real. Por isso a política brasileira será sempre a possível. Dentro da realidade do que somos.

Senão vejamos: na última eleição o grupo vencedor deu atenção total a alguns candidatos a vereador. Excepcionalmente aos candidatos Don e Miguel Pereira, que triplicaram sua votação em relação às últimas eleições. Não diria que abandonou, mas não fez o mesmo por Lorran e Messias – dois soldados leais que durante o primeiro mandato do Prefeito André se mostraram de extrema importância para uma boa relação entre o Legislativo e o Executivo.

Claro que o fato do atual vice-prefeito Henrique Gomes ter sido o presidente da câmara ajudou, mas ninguém duvida da importância dos vereadores Lorran e Messias, que por falta de um maior apoio não conseguiram a reeleição. Somados os votos, o prefeito eleito teve que se contentar com 4 vereadores. A oposição fez 5, e desde o primeiro dia declarou guerra ao prefeito eleito.

A cidade está parada em alguns aspectos políticos, pois os 5 raivosos só pensam em sabotar o executivo para com isso fortalecer Alexandre Martins e Felipe Lopes, dois candidatos derrotados mas que contam os dias para uma possível queda do André.  Mesmo que isso signifique sabotar a cidade. O presidente da Câmara se quiser, pode travar as discussões dos projetos que a cidade tanto carece. Joaozinho Carrilho já fez isso quando Mirinho era prefeito. Algumas atitudes do Joaozinho foram fundamentais para o enfraquecimento do governo Mirinho – que não andava bem das pernas.

O atual presidente do Legislativo segue a mesma receita e para piorar o prefeito nem pode contar com certeza com os 4 vereadores que ajudou a eleger. O Don é o mais reativo. Eleito com a complacência do governo que fechou os olhos para todos os absurdos que ocorriam na Secretaria de Postura, Don não está feliz com o mandato que jamais conseguiria pelas próprias pernas. Quer cargos. Muitos cargos para seguir apoiando o governo que lhe deu tudo por 4 anos. Todos querem fazer caridade com o chapéu alheio. Que o prefeito nomeei amigos, parentes, vizinhos, cabos eleitorais e, se der, arrume ainda algumas obras para quem financiou a campanha.

E ninguém quer saber se estamos numa crise. Se a prefeitura tem grande parte do seus servidores concursados. Que o prefeito não pode inventar cargos e muito menos passar do limite providencial na Folha de Pagamento. Todos querem a farra. Empregar a maior quantidade possível de pessoas para se fortalecer politicamente e dane-se a sociedade. A merda com o dinheiro público.

Não se enganem. O prefeito, qualquer prefeito sempre será um refém das casas legislativas. Sem acordo$ não se vota nada. Aquele vereador que você tanto admira por se mostrar opositor é na verdade um espertalhão que marca posição para vender mais caro seu passe.

Quem não se lembra dos famosos “bifinhos” que o ex-prefeito Toninho Branco distribuía – segundo o próprio- a sua bancada de vereadores. Teve um que ficou famoso ao romper com o prefeito por não ter recebido o acepipe. Se o prefeito André perder algum vereador do grupo, saiba desde já o motivo. Ninguém está preocupado com a cidade.

https://prensadebabel.com.br/index.php/2017/03/14/camara-de-buzios-mantem-vetos-do-prefeito-projetos-que-visavam-criar-o-monumento-do-mangue-de-pedra-e-instituir-o-mutirao-da-limpeza-em-bairros-carentes/

NOTÍCIAS DE GRAÇA NO SEU CELULAR

A Prensa está sempre se adaptando às novas ferramentas de distribuição do conteúdo produzido pela nossa equipe de reportagem. Você pode receber nossas matérias através da comunidade criada nos canais de mensagens eletrônicas Whatsaap e Telegram. Basta clicar nos links e participar, é rápido e você fica por dentro do que rola na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Faça parte da nossa comunidade no Whatsapp e Telegram:

Se você quer participar do nosso grupo, a gente vai te contar como vai ser agorinha mesmo. Se liga:

  • As nossas matérias chegam pra você a cada 1h, de segunda a sábado. Informações urgentes podem ser enviadas a qualquer momento.
  • Somente os administradores podem mandar os informes e realizar alterações no grupo. Além disso, estamos sempre monitorando quem são os participantes.
  • Caso tenha alguma dificuldade para acessar o link das matérias, basta adicionar o número (22) 99954-6926 na sua lista de contatos.

Nos ajude a crescer, siga nossas redes Sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Tik Tok e Youtube

Veja Também

Grupo Bz promove rifa solidária em apoio às vítmas das chuvas no Rio Grande do Sul

Morador de Manguinhos denuncia vazamento de água

Escola de Artes e Ofícios Zanine em Búzios promove Experiências Criativas para Adultos

Búzios promove terceiro encontro do Seminário Abolição da Escravatura