Pólis – Notas Políticas da Babel nesta terça (8)

A coluna de notas politicas da Prensa mudou de cara e de nome, agora é Pólis, mas as figurinhas continuam as mesmas e rendendo comentários. Fale com a redação – (22) 99287 – 8832.

PROLAGOS 300_250_pix

FAKE NEWS – O tema anda na boca do povo, em Búzios. Os candidatos do Republicanos e do PDT têm trocado acusações sobre fake news. Vídeos associando Leandro Alex (PDT) à milícia e Alexandre Martins (Republicanos) de financiar um suposto ‘gabinete do ódio’ inundaram as redes sociais. Saíram da obscuridade do whatsapp pra ganhar facebook e até o instagram. O problema da guerra de narrativas é que quem perde é o povo que decide, já que proposta que é bom, pouco se vê.

PRA DESENHAR – Fake News é disseminação de mentiras. Mas vídeos, áudios ou outra forma de divulgação, mesmo que anônimas, se verdadeiras ou passíveis de investigação, NÃO SÃO FAKE. Por exemplo, a informação de que o TRE esteve em um imóvel ligado a Alexandre Martins e encontrou uma pessoa com um valor suspeito e material de campanha considerado irregular foi apreendido não é falsa, isso realmente aconteceu. Mas, Martins insiste em usar a contrainformação de que tudo contra ele é fake. Assim como a notícia de que a vereadora Gladys, que hoje apoia Leandro Alex, não poderia ser candidata a prefeita, também não era. A Prensa explica didaticamente sobre Fake News no artigo abaixo.

ANSIEDADE – A cinco dias de definir quem serão os prefeitos das principais cidades da Região dos Lagos pelos próximos quatro anos, os nervos estão à flor da pele. Pudera, 2021 e seguramente 2022 serão anos muito difíceis no pós-covid. Os desafios são imensos e em muitas cidades a disputa será voto a voto. Dias decisivos de olho em quem certamente ainda são muitos e vão definir os eleitos: os indecisos.

ENQUANTO ISSO – A campanha rola solta com caminhadas, comícios, apertos de mão, beijos e abraços. A impressão é que o coronavírus acabou e estamos todos imunes. Os candidatos esquecem que precisam dar exemplo antes de assumirem a cadeira. Como esses nomes pretendem combater o vírus no próximo ano, se são os maiores propagadores nesse momento? Teve candidato caminhando na chuva, sem máscara. Bizarro.

VÍDEO SUSPEITO –  Apoiadores de Alexandre Martins (Republicanos) divulgaram gravações de uma câmera de segurança que mostrava um carro adesivado com o número do PDT espalhando alguns exemplares do pasquim que foi distribuído na cidade com acusações ao candidato. Tem gente que jura que reconhece o moço e gente que diz que é montagem. E agora José?

GLADYS NÃO PERDOA – Quem achou que a vereadora, conhecida por falar o que pensa sem censura, gravou um vídeo contando sua trajetória como vereadora e aproveitando pra descascar o candidato do Republicanos. Ela credita sua inegebilidade à manobras do grupo, entre outras acusações. Pelo jeito a vereadora não perdeu o espírito combativo.

IMPACTOS – Certamente a campanha de João Carrilho sofreu impactos depois da derrota esmagadora que André Granado sofreu ontem no TJRJ. Dos 25 desembargadores, 17 votaram contra o retorno do prefeito afastado. João é o candidato de André à sucessão. Apesar da derrota, o candidato do PRTB segue firme nos compromissos de campanha e parece não desistir. Talvez se tivesse mantido distância do prefeito com rejeição altíssima, teria alcançado melhores números. Mas como a família Carrilho não é de esmorecer, essa não será a última vez que os veremos em eleições.

CAMINHADA DO CAPITÃO – O comandante Serafim, candidato do PSD vai receber apoio do senador Carlos Portinho. A caminhada será na sexta-feira (13) às 14h30 com concentração na Praça do INEFI, na Rasa. Em seguida haverá carreata pelos bairros  Alto da Rasa , Maria Joaquina, Vila Verde , Cem Bracas, Capão,  Tucuns, São José,  José Gonçalves, Manguinho e Centro. Encerramento no bairro da Rasa.

GABINETE DO ÓDIO – Um vídeo com a voz do fotógrafo Ronald Pantoja, em conversa no whatsapp, sacudiu a cidade. Nele, o servidor público concursado pede a alguém para usar uma foto de Leandro com o governador afastado, Wilson Witzel. Pantoja disse à Pòlis que o áudio está fora de contexto.

REELEIÇÃO – Em Cabo Frio, Dr. Adriano (DEM) tenta a reeleição, que está cada vez mais distante. Em pesquisa divulgada neste fim de semana, ele alcança apenas 5% da intenção dos votos. Hoje teve mais um protesto na cidade, desta vez dos funcionários exonerados da Comsercaf. O motivo? A data de pagamento da última parcela da rescisão contrariar, marcada mais uma vez para esta terça-feira (10), não foi cumprida. De acordo com o calendário divulgado pela Fazenda, os contratados e comissionados também não recebem antes da eleição.

PEDALANDO COM FOLGA – Enquanto isso, a pesquisa mostra José Bonifácio ( PDT) com 32,9% das intenções de voto, deixando o segundo colocado, Dr. Serginho (Republicanos) comendo poeira, com 18,9%.

MACAÉ – A eleição realmente está um rastilho de pólvora e sendo disputada voto a voto. Primeiro, eleitores questionaram a pesquisa do Ibope, que trazia empate técnico entre o ex-prefeito Revirton Mussi (que periga ter o nomes na urna, mas não ter os votos computados, assim como Marquinho Mendes em Cabo Frio em 2018), e o vereador/radialista/candidato a prefeito pela primeira vez, Robson Oliveira. A pesquisa, apesar de ser de um instituto conhecido e estar devidamente registrada, não convenceu.

MACAÉ 2 – Ainda sobre intenções de votos, o secretário e jornalista, Leo Gomes, que se tornou um dos principais articulistas via Twitter, levantou mais uma vez a bola da desconfiança. E foi além: lembrou que há cerca de 30 mil eleitores indecisos a serem conquistados até domingo. É bom lembrar que na tal pesquisa, o candidato do Governo, Welberth Rezende, apareceu bem abaixo do esperado. O jogo pode virar e é melhor ninguém cantar vitória antes da hora.

MACAÉ 3 – A política é mesmo uma gangorra, pode-se estar em cima hoje e por baixo amanhã. Robson Oliveira teve uma ascensão meteórica e foi recentemente golpeado pela publicação do jornal Extra que revelou uma ligação comercial entre o radialista e a empresa que presta o serviço de transporte público em Macaé, a SIT. O jornal O Debate chegou a considerar abertamente o valor de R$3 mil como um “cala boca” ao vereador. Robson não gostou e ameaçou processar o veículo.

MACAÉ 4 – Mas se alguém achou que o burburinho iria parar por aí, veio Maxwell Vaz, também vereador e candidato a prefeito (mas não radialista), e deixou o lado da gangorra de Robson Oliveira ainda parada no chão. Maxwel emitiu um requerimento à Câmara Municipal solicitando um decreto legislativo de cassação de Robson em caráter de urgência. “De acordo com o artigo 65 da Lei Orgânica de Macaé, é vedado ao vereador firmar e manter contato com o município ou concessionária de serviços públicos”, afirmou Maxwell à Prensa em matéria publicada nesta terça-feira (10).

Comentários