NOVEMBRO AZUL

Pólis – Notas políticas da Babel nesta terça (15)

A coluna de notas politicas da Prensa mudou de cara e de nome, agora é Pólis, mas as figurinhas continuam as mesmas e rendendo comentários. Fale com a redação – (22) 99287 – 8832.

O CANDIDATO FORTÃO – Marcelo Morel é pré-candidato a prefeito de Búzios pelo Partido da Mulher Brasileira. Isso a Prensa já publicou em primeira mão, e até já o entrevistou sobre o fato. Mas no apanhado das convenções já realizadas e publicado na segunda-feira (14), Morel não foi citado. Logo ele que foi exemplarmente o primeiro a realizar a convenção e declarar como vice uma mulher – coisa rara na política tão cheia de testosterona do balneário. Não por mal, mas talvez pelo tamanho da figura do ambientalista heróico que se impõe, a redação tenha se ‘esquecido’ do Rambo. Ressaltamos aqui a importância como candidato e, mais uma vez, a coragem de lutar em outra frente. E compusemos até um jingle pra ele (cante com a mesma melodia do eterno jingle do eterno candidato a presidente Eymael) “Ê ê ê Morel, um ambientalista fortão”.

MISTÉRIO – O Cidadania, partido do disputadíssimo Coronel Ruy França deixou a decisão majoritária para o último dia de prazo das convenções. O coronel vai disputar as eleições como candidato, vice ou vai compor alianças? O fato é que independente do lado, Ruy é um nome de peso e vai carregar muitos votos.

Ruy França / foto arquivo

45 DO SEGUNDO TEMPO – Quem também deixou o anúncio da candidatura para o último dia do prazo foi o ex prefeito de Cabo Frio, Marquinho Mendes (MDB). Ele, que foi cassado e teve os direitos políticos suspensos, afirma que está apto para a disputa. Vamos aguardar a justiça eleitoral se manifestar sobre a regularidade (ou não).

Marquinho Mendes / foto arquivo

O CALCANHAR – Que fim levou Aquiles? No domingo, o PT retirou a candidatura para apoiar José Bonifácio (PDT). Tudo por conta da “passada de perna” que Marquinho Mendes. Mas diante do cenário, qual peça ele ocupa no xadrez político? Vai ser vice? Vai apenas apoiar? Fechou cargos no primeiro escalão? Aguardemos o xeque mate.

Aquiles Barreto / foto arquivo

QUEM QUE SABE? – O atual prefeito Dr. Adriano cumpriu já cumpriu o protocolo. A convenção do DEM, que formou coligação com o PSC aconteceu na sexta-feira (11). Tudo nos conformes se não fosse por um “DETALHE”: quem vai compor a chapa com ele? O assunto na cidade não pode ser outro. Quem quer entrar na corrida ao lado dele?

Adriano Moreno / foto arquivo

ASPIRADOR – Já Zezinho, como é carinhosamente chamado, arrasta seguidores por onde passa e não para de fechar alianças. Os partidos progressistas se uniram em torno dele, exceto pelo PSOL, que bateu o pé e decidiu seguir solo, com a candidatura do Professor Betinho.

José Bonifácio / Foto Marcelo Carnaval

ESQUERDA SOLO – Falando em PSOL, o partido da esquerda não faz acordos políticos e mantém os candidatos pouco expressivos, diferente do deputado Marcelo Freixo, que sabe articular. Vaga certa no legislativo seria Carol Werkhaizer. Inteligente como poucos e muito articulada, foi derrubada pela testosterona unida. Dá um banho em muitas cabeças pensantes e fato que seria a melhor candidata progressista. Que na próxima eleição, Carol seja um nome para nos representar.

Carolina Werkhaizer / foto arquivo

DESVIO DE ROTA – O ex-prefeito de Macaé, Riverton Mussi parece sofrer do mesmo mal que outros ex-prefeitos da Costa do Sol: quer disputar as eleições sem a segurança de poder seguir adiante devido aos processos cascudos que carrega nas costas. O cenário é parecido em Cabo Frio, com Marquinho Mendes. No caso de Riverton, ele já havia declarado apoio ao Partido dos Trabalhadores, que tem como cabeça de chapa Igor Sardinha. Agora, por conselhos tortos de parte dos correligionários, devaneia composições estranhas à aliança progressista que afirmou ter como meta junto não só ao PT como também ao PSOL. “Fazer um governo popular”, como foi anunciado, mas parece não estar mais nos planos do ex-prefeito.

Riverton Mussi / foto arquivo

REFORÇO DA ESQUERDA EM MACAÉ – Após movimentações partidárias na cidade, o vereador Marcel Silvano (PT) , divulgou uma nota nesta terça-feira (15), nas redes sociais, em que descreve a aliança política com o PSOL como uma ação uma resposta da esquerda aos avanço dos movimentos de direita. Segundo Marcel, o apoio entre os partidos passa um recado para a sociedade. “Alianças estratégicas em momentos decisivos da história comprovam o amadurecimento das forças de esquerda, tendo em vista a democracia política, econômica e racial”, afirma a nota.

Marcel e Marcelo Freixo, principal nome do Psol / foto arquivo
Comentários
Windows Lizenz Windows 10 Lizenz Office 2019 Lizenz Kaufen Office 365 kaufen Windows 10 Home kaufen Office 2016 kaufen