Peixarias de Rio das Ostras se preparam para a Semana Santa

Estimativa é de aumento de 70% nas vendas do período.

Quaresma é o período de quarenta dias que antecede a Páscoa, a ressurreição de Jesus Cristo. Nesta época, os católicos costumam fazer penitência e uma delas é não consumir carne vermelha. O comportamento reflete no aumento da venda de peixes.

PROLAGOS 300_250_pix

Em Rio das Ostras, a média dos preços é R$ 19,90 o quilo e os comerciantes estão animados e se preparando para o aumento das vendas que acontece principalmente durante a semana santa.

Segundo os comerciantes a venda deve ter ajuste de 10% nos próximos dias. Porém, o forte das vendas acontece durante a semana santa, que acontece entre os dias 25 e 31 de março, onde as vendas crescem 70%.

De acordo com Hermógenes Cardoso, proprietário da Peixaria do Nelson, localizada na Boca da Barra, entre o dia 5 e 10 de março as vendas crescem exponencialmente. “Os peixes mais procurados são cação, corvina, pescadinha e anchova. Mas a sardinha que tem um preço mais baixo, na faixa de 10 reais, também sai bastante.

A expectativa de vendas para a Peixaria do Nelson é boa. Segundo o proprietário, em 2017 foram vendidos cerca de duas toneladas de peixe. “Esse ano se essa situação se repetir ficarei muito satisfeito. Acredito que é possível que aconteça”, comenta Cardoso.

Tradição
Para algumas famílias, comer peixe na quaresma é mais que apenas uma tradição religiosa é uma memória familiar.

A dona de casa e católica praticante, Cristina Santos, conta que comer peixe durante a quaresma e semana santa é uma tradição ensinada pelos pais ao longo dos anos.

“Lembro de quando eu era criança e meus pais e eu íamos a casa dos meus avós almoçar quase todo dia. E preparávamos, todos juntos, o peixe na hora. É uma lembrança linda para mim. Tenho dois filhos que também seguem essa tradição com suas famílias. É um costume nosso”, relembra.

Cristina ainda dá dicas receitas e temperos para utilizar, variando os pratos durantes os dias.

“Dá para fazer a milanesa, ensopado ou grelhado. Uso muito leite de coco, coentro, limão e tomilho para temperar e dar um sabor diferente. Fazemos muito uma espécie de moqueca também. Mas o preferido da minha família é o peixe grelhado. Dá para fazer com pescadinha que é barato. É só deixar no tempero marinando por umas duas horas. Mas antes de botar na frigideira tem que secar para não grudar e desmanchar o peixe”, comenta a dona de casa.

Comentários