Mulheres de Búzios denunciam a cultura do estupro na Cidade

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

protesto-buzios1A violência contra a mulher assola todo o Brasil e em Búzios não é diferente. No próximo dia 23, sexta-feira, um grupo de mulheres da Cidade estão organizando uma  passeata como forma de denunciar o alto grau de violência contra a mulher, em especial  o estupro, em Búzios. O ponto de encontro é na Praça dos Ossos, às 18h, para sair as 19h. A ideia é passar pela Praça dos Ossos, Orla Bardot, Rua das Pedras, Turibio de Farias e chegando à Praça Santos Dumont.

O ato será realizado pelo Movimentos de Mulheres de Búzios e convoca o maior número de pessoas a participarem. As organizadoras denunciam que  moradoras e turistas estão sendo violentadas  de forma constante na cidade e, no entanto, não há ainda um politica de segurança para assegurar a integridade física e psicológica das mulheres no município.

“A cidade está se perdendo entre estupros, roubos e sujeira… por isso queremos dar o nosso parecer na rua. Na voz de muitas e muitos. Divulguem para fazer mais força juntos, entre todas e todos que sabemos que Búzios é nosso e não da bandidagem”, informou em nota o Movimento de Mulheres de Búzios.

Publicidade

Vamos denunciar

Casos de estupro assustam a Região dos Lagos Levantamento do Instituto de Segurança Pública (ISP) revela que Cabo Frio e São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos, são as cidades com os maiores registros de violência contra a mulher. O estudo é baseado em dados registrados pela Polícia Civil em cada cidade. Foram analisados seis tipos de crimes na Região dos Lagos. Os mais comuns são estupro, ameaça e lesão corporal. São 45 casos de estupros registrados só em São Pedro da Aldeia, 660 registros de ameaça em Cabo Frio e 525 casos de lesão corporal em Araruama.

Búzios aparece com apenas 9 casos de estupro , o que já pode ser considerado alarmante – pensando que não deveria existir estupro algum, mas o movimentos femininos da cidade alertam para o fato de que a maioria das mulheres ainda temem

registrar os casos de estupro por medo da reação social e também por muitos casos de abusos como esses acontecerem no ambiente familiar. Búzios registar 191 casos de lesão corporal contra mulheres, ficando à frente de Arraial do Cabo e Iguaba Grande.

Feminicidio é o assassinato de uma mulher pela condição de ser mulher. Suas motivações mais usuais são o ódio, o desprezo ou o sentimento de perda do controle e da propriedade sobre as mulheres, comuns em sociedades marcadas pela associação de papéis discriminatórios ao feminino, como é o caso brasileiro.

 

Não é a primeira ação 

Um ano após a entrada em vigor da Lei do Feminicídio (Lei nº 13.104), as primeiras condenações pelo assassinato brutal de mulheres começam a indicar o fim da impunidade na espiral de violência contra o sexo feminino. A aplicação da norma se junta à lei Maria da Penha e às políticas criadas para prevenir e punir atentados, agressões e maus-tratos, em uma demonstração do empoderamento das mulheres.

Para avançar na punição aos responsáveis e ampliar a aplicação da nova lei outras medidas estão em curso. Numa importante linha de ação, está em definição as diretrizes e os elementos desse tipo de crime que irão nortear as investigações, os julgamentos e as condenações do feminicídio. A definição desse padrão está sendo feito pelo governo brasileiro em conjunto com a ONU.

 

Há  cerca de dois meses o mesmo grupo, após uma articulação com mulheres da capital de São Paulo e países como Argentina, Chile realizaram uma passeata que reunião mais de 200 pessoas contra o feminicidio e a cultura do estupro em Búzios.  O que motivou as manifestações foi o recente caso em que uma jovem na Argentina foi sodomizada e empalada. Empalar é o ato de atravessar uma pessoa com uma lança. Na ocasião reuniram-se com o promotor de justiça da cidade para conversar sobre medidas mais efetivas contra a o feminicidio e a cultura do estupro em Búzios.

 

 

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Últimas Notícias

MEIO AMBIENTE

Gustavo Schmidt fala sobre o trabalho desenvolvido pela Comissão de Meio Ambiente da Alerj e aponta futuro de Búzios e região

RIO UNA

“Búzios: paraíso sob ameaça” é tema de audiência pública na Câmara Municipal

DEBATE NA BAND

“Você é culpado ou incompetente?”, questiona Freixo a Claudio Castro durante debate na Band

MULTIVACINAÇÃO

Maricá, Cabo Frio e Rio das Ostras iniciam Campanha de Multivacinação nesta segunda-feira (8)

APOIO FEMININO

Aquiles Barreto reúne centenas de mulheres para discutir políticas públicas em Cabo Frio

MEMÓRIA AFETIVA

8ª edição do Festival Sabores de Cabo Frio terá como tema “Receitas com boas lembranças”