Ministério do Turismo desconsidera parecer da Anvisa e mantém temporada de cruzeiros na costa brasileira

Órgão diz que suspensão prejudicaria a recuperação da economia nacional e global

PROLAGOS 300_250_pix

A notícia da suspensão da temporada de cruzeiros na costa brasileira caiu como uma bomba no setor de turismo brasileiro na sexta-feira (10), mas no mesmo dia foi desconsiderada pelo Ministério do Turismo. O parecer negativo foi da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que sustenta as manifestações técnicas condenando as evidências de caráter sanitário e epidemiológico nos planos nacional e internacional. O município de Armação dos Búzios espera receber 45 navios de outubro de 2021 a abril de 2022.  

A nota do MT diz que “até o momento, não há novidades ou atualizações em relação à autorização” e que “continua trabalhando nos trâmites e negociações para viabilizar a temporada de cruzeiros no Brasil”. O órgão destacou que “a indústria de cruzeiros é vital para a recuperação econômica nacional e global”.

Mas na nota de suspensão a Anvisa deixa claro que se coloca enquanto “órgão de natureza assessorial aos ministérios envolvidos”, mas que “medidas de restrição excepcional e temporária de rodovias, portos ou aeroportos são de competência conjunta dos Ministros de Estado da Saúde, da Justiça e Segurança Pública e da Infraestrutura”.

O setor de turismo foi um dos mais prejudicados com a pandemia do coronavírus.  A estimativa do MT é de que a temporada deste ano gere um impacto de R $2,5 bilhões na economia nacional. Em 2019/2020 foi de R $2,24 bilhões, além da geração de R$35 mil empregos; em 2019/2020 foram R $33.745.

A temporada dos cruzeiros marítimos com escalas em Armação dos Búzios está programada para iniciar em outubro. O primeiro navio que atracará no balneário é World Navigator, da companhia Mystic Cruises, no dia 19, às 14h.

PRENSA 970X250 GOOGLE CONTEMPLADO INTERTEXTO BARRA
Comentários