Menu

Cidades

Macaé monitora e sinaliza Lagoa de Imboassica contra a pesca predatória

20240315 colocação de placa na lagia mobilidade urbana foto porao 01

Para proteger o ecossistema aquático, a prefeitura, em parceria com o governo do Estado, através da Secretaria Municipal de Ambiente e Sustentabilidade e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), realizou o monitoramento de barco para coibir a pesca predatória na Lagoa de Imboassica. A equipe percorreu todo o espelho d´água, na manhã desta sexta-feira (15), com apoio da Guarda Ambiental, e apreendeu duas tarrafas com malhas de 35mm inferiores à medição permitida por lei. Simultaneamente, outra equipe do Ambiente, reinstalou a placa permanente na entrada da lagoa, no Bairro do Pecado, que informa sobre a regulamentação do que é permitido usar durante a pesca no corpo hídrico.

O coordenador de Ambiente, Fernando Barreto, comandou o monitoramento na lagoa. Ele disse que a fiscalização será frequente no local e inclui, ainda, parceria com a Marinha do Brasil, para os casos que envolvam embarcações. A população pode colaborar denunciando crimes ambientais pelo telefone (22) 99701.9770, da Guarda Ambiental, que funciona 24 horas por dia ou através do email: sema@macae.rj.gov.br. A identidade de quem denuncia é preservada.

“A pesca é permitida desde que respeitadas as regulamentações. Intensificamos as ações e nada irregular pode ser permitido. Para isto existem as leis e devem ser cumpridas. Estaremos rotineiramente fiscalizando a lagoa”, enfatizou o coordenador Barreto.

Na placa constam informações que proíbem a pesca utilizando redes de arrasto e de lance; redes de espera com malha inferior a 70mm; e tarrafas com malha inferior a 50mm. As recomendações estão em destaque na placa e fazem parte da Instrução Normativa nº 43 do Instituto Brasileiro de (Ibama), de 23 de julho de 2004, bem como o descumprimento que sujeita o infrator às penalidades previstas na Lei Estadual nº 3.467/2000 e na Lei de Crimes Ambientais nº 9.605/1998.

A instalação da placa foi feita por uma equipe da Secretaria Municipal de Mobilidade e chama a atenção de quem passa pelo local já que fica bem na entrada da lagoa onde passa grande fluxo de pessoas o ano inteiro. Outra placa como esta também está instalada no Mirante da Lagoa, outro bairro à margem da Lagoa de Imboassica. Os técnicos do Ambiente que acompanharam a instalação da placa explicaram que são proibidas o ano inteiro na lagoa a pesca industrial e utilizando malha fina. Eles enfatizaram que os pescadores devem ficar atentos à legislação do que podem ou não usar na lagoa.

“Realizamos operações integradas de fiscalização para coibir e disciplinar a pesca na lagoa. São ações desenvolvidas em conjunto pela Secretaria de Ambiente e Sustentabilidade, a Guarda Ambiental e o Inea o ano inteiro”, observou a secretária de Ambiente, Isaura Sales Monteiro.

 Os técnicos explicaram que a pesca predatória é uma prática não sustentável que envolve a captura excessiva e indiscriminada de peixes e outras espécies aquáticas. Ela ocorre quando os pescadores não seguem as regulamentações, como tamanhos de captura, limites de quota e material adequado, o que resulta na exaustão das populações de peixes e na destruição dos ecossistemas. Daí a importância de ações como estas para conscientizar os pescadores.

Segundo ainda os técnicos, a pesca predatória em lagoa ocorre em uma velocidade superior à capacidade de recuperação do estoque aquático, ou seja, em uma população natural explorada a quantidade de peixes removida excede o ganho de novos indivíduos resultantes da reprodução, o que pode levar ao declínio e, em casos extremos, à extinção da população aquática. 

Entre os impactos, a pesca predatória tem consequências significativas para o ambiente e a sociedade como: reduz a disponibilidade de peixes; e altera ecossistemas aquáticos, prejudicando a biodiversidade e a qualidade da água. “Por isto a necessidade da sinalização permanente no entorno da lagoa e os monitoramentos frequentes que realizamos”, concluíram os técnicos.

Macaé monitora e sinaliza Lagoa de Imboassica contra a pesca predatória

20240315 colocação de placa na lagia mobilidade urbana foto porao 01

Para proteger o ecossistema aquático, a prefeitura, em parceria com o governo do Estado, através da Secretaria Municipal de Ambiente e Sustentabilidade e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), realizou o monitoramento de barco para coibir a pesca predatória na Lagoa de Imboassica. A equipe percorreu todo o espelho d´água, na manhã desta sexta-feira (15), com apoio da Guarda Ambiental, e apreendeu duas tarrafas com malhas de 35mm inferiores à medição permitida por lei. Simultaneamente, outra equipe do Ambiente, reinstalou a placa permanente na entrada da lagoa, no Bairro do Pecado, que informa sobre a regulamentação do que é permitido usar durante a pesca no corpo hídrico.

O coordenador de Ambiente, Fernando Barreto, comandou o monitoramento na lagoa. Ele disse que a fiscalização será frequente no local e inclui, ainda, parceria com a Marinha do Brasil, para os casos que envolvam embarcações. A população pode colaborar denunciando crimes ambientais pelo telefone (22) 99701.9770, da Guarda Ambiental, que funciona 24 horas por dia ou através do email: sema@macae.rj.gov.br. A identidade de quem denuncia é preservada.

“A pesca é permitida desde que respeitadas as regulamentações. Intensificamos as ações e nada irregular pode ser permitido. Para isto existem as leis e devem ser cumpridas. Estaremos rotineiramente fiscalizando a lagoa”, enfatizou o coordenador Barreto.

Na placa constam informações que proíbem a pesca utilizando redes de arrasto e de lance; redes de espera com malha inferior a 70mm; e tarrafas com malha inferior a 50mm. As recomendações estão em destaque na placa e fazem parte da Instrução Normativa nº 43 do Instituto Brasileiro de (Ibama), de 23 de julho de 2004, bem como o descumprimento que sujeita o infrator às penalidades previstas na Lei Estadual nº 3.467/2000 e na Lei de Crimes Ambientais nº 9.605/1998.

A instalação da placa foi feita por uma equipe da Secretaria Municipal de Mobilidade e chama a atenção de quem passa pelo local já que fica bem na entrada da lagoa onde passa grande fluxo de pessoas o ano inteiro. Outra placa como esta também está instalada no Mirante da Lagoa, outro bairro à margem da Lagoa de Imboassica. Os técnicos do Ambiente que acompanharam a instalação da placa explicaram que são proibidas o ano inteiro na lagoa a pesca industrial e utilizando malha fina. Eles enfatizaram que os pescadores devem ficar atentos à legislação do que podem ou não usar na lagoa.

“Realizamos operações integradas de fiscalização para coibir e disciplinar a pesca na lagoa. São ações desenvolvidas em conjunto pela Secretaria de Ambiente e Sustentabilidade, a Guarda Ambiental e o Inea o ano inteiro”, observou a secretária de Ambiente, Isaura Sales Monteiro.

 Os técnicos explicaram que a pesca predatória é uma prática não sustentável que envolve a captura excessiva e indiscriminada de peixes e outras espécies aquáticas. Ela ocorre quando os pescadores não seguem as regulamentações, como tamanhos de captura, limites de quota e material adequado, o que resulta na exaustão das populações de peixes e na destruição dos ecossistemas. Daí a importância de ações como estas para conscientizar os pescadores.

Segundo ainda os técnicos, a pesca predatória em lagoa ocorre em uma velocidade superior à capacidade de recuperação do estoque aquático, ou seja, em uma população natural explorada a quantidade de peixes removida excede o ganho de novos indivíduos resultantes da reprodução, o que pode levar ao declínio e, em casos extremos, à extinção da população aquática. 

Entre os impactos, a pesca predatória tem consequências significativas para o ambiente e a sociedade como: reduz a disponibilidade de peixes; e altera ecossistemas aquáticos, prejudicando a biodiversidade e a qualidade da água. “Por isto a necessidade da sinalização permanente no entorno da lagoa e os monitoramentos frequentes que realizamos”, concluíram os técnicos.

NOTÍCIAS DE GRAÇA NO SEU CELULAR

A Prensa está sempre se adaptando às novas ferramentas de distribuição do conteúdo produzido pela nossa equipe de reportagem. Você pode receber nossas matérias através da comunidade criada nos canais de mensagens eletrônicas Whatsaap e Telegram. Basta clicar nos links e participar, é rápido e você fica por dentro do que rola na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Faça parte da nossa comunidade no Whatsapp e Telegram:

Se você quer participar do nosso grupo, a gente vai te contar como vai ser agorinha mesmo. Se liga:

  • As nossas matérias chegam pra você a cada 1h, de segunda a sábado. Informações urgentes podem ser enviadas a qualquer momento.
  • Somente os administradores podem mandar os informes e realizar alterações no grupo. Além disso, estamos sempre monitorando quem são os participantes.
  • Caso tenha alguma dificuldade para acessar o link das matérias, basta adicionar o número (22) 99954-6926 na sua lista de contatos.

Nos ajude a crescer, siga nossas redes Sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Tik Tok e Youtube

Veja Também

Empresa esclarece as diferenças entre os cabos elétricos de 750 V e os de 1 kV

Race kart da Elevar Energia destaca eixo social do ESG

Ecoturista é um amante da natureza que contempla a beleza do local

Shopping Park Lagos terá “Festival Comida de Boteco”

Coluna da Angela

A reprodução parcial deste conteúdo por veículos de comunicação é permitida desde que contenha crédito à Prensa de Babel na abertura do
texto, bem como LINK para o site "www.prensadebabel.com.br"
A supressão da fonte pode implicar em medidas de acordo com a lei de direitos autorais.