Jorge Mankandal morre vítima do Covid-19 em Macaé

Morador ilustre do Sana, famoso distrito serrano de Macaé, Mankandal era contrário à reabertura da localidade para o turismo antes do fim da pandemia

Morreu no sábado (21), aos 74 anos, vítima do Covid-19, Jorge Mankandal, morador icônico do Sana, distrito de Macaé, no norte fluminense.  Era proprietário de um dos mais tradicionais campings da localidade, o Jamaica, fundado na década de 1980. Era casado e pai de duas filhas.

 Mankandal era também praticante da religião Rastafári e um dos seus mais conhecidos divulgadores no Brasil. Bandas de reggae como, Ponto de Equilíbrio, nasceram no camping.

O Jamaica estava fechado por decisão dele e sua família por causa da pandemia. Ele era contrário à reabertura do Arraial do Sana para atividades turísticas até que houvesse comprovada segurança sanitária.

Após meses de grande resistência de parte dos moradores que mantiveram rigor no acesso ao arraial a localidade chegou a se manter sem casos de Covid-19 por cerca de um mês e depois seguiu por um tempo apresentando baixo índice de contaminação. No entanto a reabertura foi autorizada pela Prefeitura.

A família de Makandal anunciou que o velório será restrito por conta da pandemia e que o ritual religioso de sete dias após a morte será transmitido por meio de live na página oficial do camping.  

PRENSA 970X250 GOOGLE CONTEMPLADO INTERTEXTO BARRA
Comentários