Victor Viana

Jornalista e escritor, é diretor da Raupp Comunicação, foi editor do Diário da Costa do Sol, é dono do Prensa de Babel e também trabalhou em O Perú Molhado

Victor Viana

Se eu votaria no Lula. Não.

"Eu não sou mais um ser humano, eu sou uma ideia.", a frase dita pelo próprio Lula no dia histórico em que discursou no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC dias antes de ser preso é a chave que abre a compreensão sobre o porquê ele, se as eleições fossem hoje, ganharia em todos os cenários mesmo preso. Após a prisão a mídia tradicional tem se dividido na estratégia de fingir que Lula não existe, com a da tentativa de desconstruí-lo. É a segunda que me chama atenção, até porque a primeira era previsível no jornalismo deles.…

Chorar e continuar por Marielle

Desde ontem o clima tá pesado, por mais que haja uma espécie de sol que brilha quando a gente vê a rede de solidariedade que vai se formando pra vencermos momentos absurdos como a da execução de Marielle, e junto com ela o motorista Anderson, é doloroso. Vendo uma postagem sobre a dor da filha dela diante do caixão eu chorei. Por que chorei? Porque a morte de qualquer pessoa é dolorosa. Quando morta na juventude, no auge de seus projetos, e ainda mais de forma violenta, é ainda mais escandalosa essa dor. Mas…

Marcelo não lia os textos (Semana Marcelo Lartigue)

Quando cheguei à redação do Perú , ainda no final de 2012, como freelancer  na produção da retrospectiva ( que por sinal foi uma das  melhores  que Marcelo já editou ),  escrevi feito um louco diversos textos de conteúdo publicitário (Matérias pagas, né), não assinei nenhuma.  Mas no finalzinho do dia, quando eu já ia meter o pé pra Cabo Frio, onde eu era repórter no Noticiário dos Lagos, e tinha que cumprir plantão, Lartigue me pediu um textinho sobre a Rasa (na pronuncia dele “Rassa”) . Não sabia eu que isso era um traço…

Praia de Babel um documentário do Lartigue (Semana Marcelo Lartigue)

Marcelo Lartigue era um artista. A primeira vez que ouvi isso foi do curador e artista plástico Amando Mattos em 2013. Sim, ele era mais que um jornalista  ou um editor de jornal. Marcelo realmente queria, mesmo que dissesse que não, deixar sua marca, sua visão estranha de ver o mundo. Talvez sua visão  correta de ver os diferentes mundos que, ao menos em Búzios, existem dentro do cotidiano. Ainda pretendo escrever mais coisas sobre Lartigue nessa semana dedicada a ele aqui no Prensa, mas sempre quis dar um destaque a uma…

Uma onda atrás da outra

Quando eu tinha 12 anos morava em Cachoeiras de Macacu, região serrana do Rio, e passava férias duas vezes por ano em Barra de São João, na Região dos Lagos. Certa vez chegamos em Barra, eu e meu primo Alex, eram as férias de julho, fazia um pouco de frio, corremos pra praia assim mesmo. As ondas estavam grandes e o mar, convidativo. Sonhávamos com a praia durante todo o ano. Entramos sem medo. Fomos entrando, entrando, meu primo, mais forte e mais audacioso estava  sempre na minha frente. Eu seguia tranquilo e…

Mude, Paulo Coelho

É conhecido o caso em que Paulo Coelho é acusado de plágio pela psicóloga e colunista colombiana Gloria Hurtado. A psicóloga acusa o “mago” de ter usado parágrafos inteiros de uma crônica escrita por ela, a partir de uma experiência que teve com uma de suas pacientes, publicada no jornal El País, em 2005. Mas outra acusação de plágio, que não ganhou, até agora, o mesmo destaque nas mídias é a descrita pelo brasileiro Edson Marques, filósofo e poeta. Trata-se do poema intitulado “Mude”, que teria sido escrito por Edson na…

O dia que Michael Jackson nos uniu

Em sua última passagem pelo Brasil, em 1996, Michael Jackson gravou o clipe da canção "They Don't Care About Us", na favela Santa Marta, no Rio de Janeiro e no Pelourinho, em Salvador.  O que poucos sabem é que o Rei do Pop esteve na minha casa, lá na velha Ribeira, em Cachoeiras de Macacu, por cerca de 5 horas. Certo fim de tarde estava eu, meus pais e meu irmão Leo sentados na sala de casa – fazia calor, como é comum em Cachoeiras de Macacu, quando começou a se formar pesadas nuvens de tempestade no céu,…

Ou o dia que me tornei um sábio bêbado.

Lá nos primeiros dias do século 21, eu  estava bem metido a filosofar, não só eu mais um grupo de garotos e garotas que viviam seus dias tediosos e noites idem das cidadezinhas da Região dos Lagos do Rio de Janeiro. O festival do Crustáceo em Barra de São João – um dos menores pedaços de chão do litoral fluminense (na verdade pertence ao município de Casimiro de Abreu) sempre foi uma festa que trouxe muitos jovens assim, vindos da Serra e de lugares mais alternativos do Rio em uma migração curiosa, fruto de um boca a boca…

Só o livro expulsa o demônio das pessoas

De tempos em tempos é sempre bom retornar ao trabalho missionário de pregar fervorosamente o poder “sobrenatural “ do livro para a libertação das mentes e a elevação do homem. Eu poderia pixar (é assim mesmo com x que se escreve, melhor ainda é dizer "mandar um xarpi")  nos muros : “Só a leitura salva”. Ou parafrasear um notório pichador religioso do Rio e fixar nas principais vias de acesso: “Só o livro expulsa o demônio das pessoas!". Vem da infância as primeiras lembranças do contato redentor com os livros. Monteiro…

Um contraponto

Por Victor Viana "O que os jornais precisam é de um contraponto da imagem do negro". Essa foi a frase que o professor de literatura, rapper e ativista das causas de igualdade racial, Fábio Emecê, me disse quando conversarmos sobre o meu projeto, que começou intuitivo, de buscar incluir nos veículos de comunicação em que atuo os três "grupos" que inclui em um sistema simples, e em construção contínua, a que chamei de TRIPÉ – Ato pratico para fazer jornalismo ativo em redações passivas (não é uma sigla). Pra explicar…

Rede Globo e Ditadura Militar – A verdade revelada em um bar de Búzios

Por Victor Viana (Da série Crônicas Pessoais) Há uns anos atrás trabalhava de caixa no extinto restaurante Boom, em Búzios, trabalhava a noite e estudava de manhã, que dureza! Um cliente antigo da casa, um daqueles coroas que vivem de renda, típico em Búzios. Morador de Ipanema e sempre na casa de Búzios passeando, conversava com os garçons. De repente ele me chamou: “Victor, você que é da comunicação, escuta essa!”. Eu fui, e ele disse: “Eu estava bebendo em um bar lá em Copacabana e um militar, já de…