Governo vai cobrar retorno de auxílio irregular a 2,6 milhões de brasileiros

Ministério da Economia planeja enviar por SMS 4,8 milhões de mensagens até o final da semana. A ação vai custar R$ 162 mil ao governo

O governo federal deve enviar nos próximos dias mensagens por SMS a 2,6 milhões de brasileiros que receberam auxílio emergencial sem ter direito ao benefício. O objetivo é cobrar a devolução dos valores a pessoas que não faziam parte dos critérios que permitiam o recebimento do auxílio emergencial criado pelo governo durante a pandemia da Covid-19. O Ministério da Economia planeja enviar 4,8 milhões de mensagens de cobranças até o final da semana. A ação vai custar R$ 162 mil ao governo.  

O Ministério da Cidadania, gestor do auxílio, estima que o governo poderia reaver R$ 1,57 bilhão se cada um dos beneficiários acionados devolvesse, pelo menos, uma parcela de R$ 600. De acordo com as informações, o Ministério  confirmou que as mensagens serão enviadas a partir do próximo fim de semana, porque a pasta ainda aguarda a lista de contatos telefônicos.  

Imagem: Reprodução

No mês de novembro, o governo divulgou que a lista de beneficiários irregulares incluía pessoas com rendimentos acima do limite, com cargos eletivos, militares, servidores públicos, ou mesmo CPFs com alguma irregularidade. As pessoas que receberam o benefício irregularmente, sem se enquadrar nos critérios do governo, poderão responder criminalmente. A medida está prevista no art. 2º da Lei n.º 13.982/2020, segundo o Ministério da Cidadania. 

Em maio, o governo federal lançou um site para facilitar a devolução do Auxílio Emergencial. Ao acessar o sistema com o CPF, o usuário pode gerar uma Guia de Recolhimento da União (GRU) para ser paga nos canais de atendimento do Banco do Brasil ou em qualquer outro banco. O ofício do Ministério da Cidadania afirma que a lista de beneficiários irregulares foi formada pela “indicação de órgãos de controle” e pela “identificação de repasse indevido por meio de ações da esteira da auditoria interna”.  

O documento informa ainda que: “Assim, esta SAGI [secretaria] planeja enviar SMS a este público, objetivando orientar o procedimento a ser adotado para proceder com a devolução do recurso, de modo a dar uma resposta à sociedade, ao mostrar o esforço do governo federal em recuperar o recurso pago indevidamente, e ainda atender à recomendação dos órgãos de controle”.  

O prazo para que esses inscritos justificassem a validade dos cadastros terminou em 16 de novembro. 

PRENSA 970X250 GOOGLE CONTEMPLADO INTERTEXTO BARRA
Comentários

Windows Lizenz Windows 10 Lizenz Office 2019 Lizenz Kaufen Office 365 kaufen Windows 10 Home kaufen Office 2016 kaufen windows 10 satın al windows 10 pro satın al