Menu

Cidades

Búzios vai ter pedágio ambiental – Entrou com veículo motorizado na Cidade tem que pagar

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A cidade de Bombinhas, em Santa Catarina, é um dos destinos turísticos que serviu como modelo para a proposta

Victor Viana

transito-alaan
O Trânsito deste ano em Búzios tornou-se assustador. Na foto de Alan Câmara turistas já utilizam as ruas antes desconhecidas por eles para tentar fugir do engarrafamento da Avenida José Bento Ribeiro Dantas.

O prefeito de Búzios, André Granado, encaminhou à Câmara no final do ano passado um projeto de lei que cria a Taxa de Preservação Ambiental (TPA) sobre o trânsito de veículos que entram no município. O projeto foi aprovado por unanimidade na sessão ordinária do dia 29 de novembro de 2016 – ainda não era a polêmica mesa diretora de agora. O objetivo da taxa é para compensação da degradação ambiental no período de alta temporada, compreendido entre 15 de novembro e 15 de abril, seguindo o modelo da cidade catarinense de Bombinhas.

Os valores das taxas vão de 1 a 40 UPFM (Unidade Padrão Fiscal Municipal), sendo o valor atual UPFM de R$2,3059. A cada 24 horas de ingresso no município, uma nova taxa será gerada.

tabela-taxa-ambiental-1O projeto prevê ainda a isenção da taxa aos veículos prestadores de serviços ou que abastecem o comércio local; veículos com licenciamento no município ou na Região dos Lagos, veículos que transportem trabalhadores residentes nos municípios vizinhos, mediante comprovação de contrato e/ou CTPS assinada; veículos daqueles que comprovem cadastro imobiliário predial em Búzios. (Veja lista completa de isentos e valores da taxa na tabela)

Conforme o projeto, os recursos arrecadados serão aplicados em infraestrutura ambiental, preservação do meio ambiente com seus ecossistemas naturais, limpeza pública e saneamento.

A Comissão de Constituição e Justiça da época  propôs uma emenda modificativa ao projeto, a fim de estabelecer que os recursos arrecadados com a taxa deverão ser destinados ao Fundo do Meio Ambiente. “Fizemos uma emenda, dizendo que essa taxa vai ser destinada ao Fundo do Meio Ambiente. Se é uma taxa ambiental, então que cuide do meio ambiente.”, acrescentou Felipe Lopes – que era o vereador  responsável pela comissão no período.

O projeto vai ser encaminhado ao prefeito para sanção, passando a lei a vigorar, após sua publicação no Boletim Oficial.

______________________________________________________________________________

O exemplo de Bombinhas – cidade com atrativos e problemas semelhantes aos de Búzios que já se tornou modelo a ser seguido com a TPA

Muitas cidades de apelo turístico do país já cobram o pedágio ambiental, o caso mais  conhecido é o de  Bombinhas, em Santa Catarina, e só para se ter uma ideia só na temporada de 2015, a Taxa de Preservação Ambiental (TPA) aumentou em R$ 6,2 milhões a arrecadação do município, segundo o Portal da Transparência,  um bom reforço em uma cidade, assim como Búzios, com uma economia baseada em turismo de alta sazonalidade.

Quem chega a Bombinhas encontra desde 2016 mais pontos de pagamento da taxa, e melhoria no sistema para evitar instabilidade além da capacitação dos servidores. Os carros que vêm de fora do país são cobrados na chegada à cidade.  O treinamento aos servidores tem por objetivo  que consigam sanar as dúvidas e resolver mais rápido os problemas enfrentados por quem vem do exterior. Desta forma, espera-se garantir maior fluidez ao já complicado trânsito, outra semelhança com Búzios,  na entrada da cidade.

Veículos nacionais podem ter a taxa paga em um dos pontos credenciados, ou pela internet – inclusive depois de deixar a cidade, por até 30 dias. Depois disso, são cobrados juros. Ao todo, 226.039 motoristas deixaram de pagar a taxa desde que ela foi implantada, em janeiro de 2015. Quem passou pelo pedágio sem pagar nos últimos verões não é impedido de entrar na cidade. No entanto, o débito será incluído na dívida ativa do município e o devedor poderá ter o nome adicionado no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), caso ele não faça o pagamento.

Além de Bombinhas também implantaram a TPA Porto Seguro, Bahia, e Governador Celso Ramos, também e Santa Catarina.

.Como é feita a cobrança
Radares identificam as placas dos veículos que entram na cidade e emitem a cobrança. A taxa tem validade de 24 horas (ou seja, se entrar e sair da cidade duas vezes no mesmo dia, paga apenas uma vez). É possível pagar ao chegar ao município, num dos postos de cobrança, ou pela internet.

Quanto custa em Bombinhas 

Motocicleta, motoneta e bicicleta a motor: R$ 3
Veículos de pequeno porte (passeio/automóvel): R$ 24
Veículos utilitários (caminhonete e furgão): R$ 36
Veículos de excursão (van) e micro-ônibus: R$ 48
Caminhões: R$ 72
Ônibus: R$ 120

*Estes são os preços válidos até 31 de dezembro de 2016. Em 1o de janeiro é feito reajuste. Não conseguimos ao valor da taxa pós reajuste.

 Leia crônica de Eduardo Almeida sobre o  tema

https://prensadebabel.com.br/index.php/2017/01/18/ai-que-loucura-ja-era/

Búzios vai ter pedágio ambiental – Entrou com veículo motorizado na Cidade tem que pagar

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A cidade de Bombinhas, em Santa Catarina, é um dos destinos turísticos que serviu como modelo para a proposta

Victor Viana

transito-alaan
O Trânsito deste ano em Búzios tornou-se assustador. Na foto de Alan Câmara turistas já utilizam as ruas antes desconhecidas por eles para tentar fugir do engarrafamento da Avenida José Bento Ribeiro Dantas.

O prefeito de Búzios, André Granado, encaminhou à Câmara no final do ano passado um projeto de lei que cria a Taxa de Preservação Ambiental (TPA) sobre o trânsito de veículos que entram no município. O projeto foi aprovado por unanimidade na sessão ordinária do dia 29 de novembro de 2016 – ainda não era a polêmica mesa diretora de agora. O objetivo da taxa é para compensação da degradação ambiental no período de alta temporada, compreendido entre 15 de novembro e 15 de abril, seguindo o modelo da cidade catarinense de Bombinhas.

Os valores das taxas vão de 1 a 40 UPFM (Unidade Padrão Fiscal Municipal), sendo o valor atual UPFM de R$2,3059. A cada 24 horas de ingresso no município, uma nova taxa será gerada.

tabela-taxa-ambiental-1O projeto prevê ainda a isenção da taxa aos veículos prestadores de serviços ou que abastecem o comércio local; veículos com licenciamento no município ou na Região dos Lagos, veículos que transportem trabalhadores residentes nos municípios vizinhos, mediante comprovação de contrato e/ou CTPS assinada; veículos daqueles que comprovem cadastro imobiliário predial em Búzios. (Veja lista completa de isentos e valores da taxa na tabela)

Conforme o projeto, os recursos arrecadados serão aplicados em infraestrutura ambiental, preservação do meio ambiente com seus ecossistemas naturais, limpeza pública e saneamento.

A Comissão de Constituição e Justiça da época  propôs uma emenda modificativa ao projeto, a fim de estabelecer que os recursos arrecadados com a taxa deverão ser destinados ao Fundo do Meio Ambiente. “Fizemos uma emenda, dizendo que essa taxa vai ser destinada ao Fundo do Meio Ambiente. Se é uma taxa ambiental, então que cuide do meio ambiente.”, acrescentou Felipe Lopes – que era o vereador  responsável pela comissão no período.

O projeto vai ser encaminhado ao prefeito para sanção, passando a lei a vigorar, após sua publicação no Boletim Oficial.

______________________________________________________________________________

O exemplo de Bombinhas – cidade com atrativos e problemas semelhantes aos de Búzios que já se tornou modelo a ser seguido com a TPA

Muitas cidades de apelo turístico do país já cobram o pedágio ambiental, o caso mais  conhecido é o de  Bombinhas, em Santa Catarina, e só para se ter uma ideia só na temporada de 2015, a Taxa de Preservação Ambiental (TPA) aumentou em R$ 6,2 milhões a arrecadação do município, segundo o Portal da Transparência,  um bom reforço em uma cidade, assim como Búzios, com uma economia baseada em turismo de alta sazonalidade.

Quem chega a Bombinhas encontra desde 2016 mais pontos de pagamento da taxa, e melhoria no sistema para evitar instabilidade além da capacitação dos servidores. Os carros que vêm de fora do país são cobrados na chegada à cidade.  O treinamento aos servidores tem por objetivo  que consigam sanar as dúvidas e resolver mais rápido os problemas enfrentados por quem vem do exterior. Desta forma, espera-se garantir maior fluidez ao já complicado trânsito, outra semelhança com Búzios,  na entrada da cidade.

Veículos nacionais podem ter a taxa paga em um dos pontos credenciados, ou pela internet – inclusive depois de deixar a cidade, por até 30 dias. Depois disso, são cobrados juros. Ao todo, 226.039 motoristas deixaram de pagar a taxa desde que ela foi implantada, em janeiro de 2015. Quem passou pelo pedágio sem pagar nos últimos verões não é impedido de entrar na cidade. No entanto, o débito será incluído na dívida ativa do município e o devedor poderá ter o nome adicionado no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), caso ele não faça o pagamento.

Além de Bombinhas também implantaram a TPA Porto Seguro, Bahia, e Governador Celso Ramos, também e Santa Catarina.

.Como é feita a cobrança
Radares identificam as placas dos veículos que entram na cidade e emitem a cobrança. A taxa tem validade de 24 horas (ou seja, se entrar e sair da cidade duas vezes no mesmo dia, paga apenas uma vez). É possível pagar ao chegar ao município, num dos postos de cobrança, ou pela internet.

Quanto custa em Bombinhas 

Motocicleta, motoneta e bicicleta a motor: R$ 3
Veículos de pequeno porte (passeio/automóvel): R$ 24
Veículos utilitários (caminhonete e furgão): R$ 36
Veículos de excursão (van) e micro-ônibus: R$ 48
Caminhões: R$ 72
Ônibus: R$ 120

*Estes são os preços válidos até 31 de dezembro de 2016. Em 1o de janeiro é feito reajuste. Não conseguimos ao valor da taxa pós reajuste.

 Leia crônica de Eduardo Almeida sobre o  tema

https://prensadebabel.com.br/index.php/2017/01/18/ai-que-loucura-ja-era/

NOTÍCIAS DE GRAÇA NO SEU CELULAR

A Prensa está sempre se adaptando às novas ferramentas de distribuição do conteúdo produzido pela nossa equipe de reportagem. Você pode receber nossas matérias através da comunidade criada nos canais de mensagens eletrônicas Whatsaap e Telegram. Basta clicar nos links e participar, é rápido e você fica por dentro do que rola na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Faça parte da nossa comunidade no Whatsapp e Telegram:

Se você quer participar do nosso grupo, a gente vai te contar como vai ser agorinha mesmo. Se liga:

  • As nossas matérias chegam pra você a cada 1h, de segunda a sábado. Informações urgentes podem ser enviadas a qualquer momento.
  • Somente os administradores podem mandar os informes e realizar alterações no grupo. Além disso, estamos sempre monitorando quem são os participantes.
  • Caso tenha alguma dificuldade para acessar o link das matérias, basta adicionar o número (22) 99954-6926 na sua lista de contatos.

Nos ajude a crescer, siga nossas redes Sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Tik Tok e Youtube

Veja Também

Petrobras atualiza valor de dividendos em movimento estratégico

Roadshows: modelo está se adaptando para o mercado do Brasil

Cidades-esponja como solução para a gestão das águas urbanas

Aplicativo possibilita economia para pacientes com diabetes

Coluna da Angela

A reprodução parcial deste conteúdo por veículos de comunicação é permitida desde que contenha crédito à Prensa de Babel na abertura do
texto, bem como LINK para o site "www.prensadebabel.com.br"
A supressão da fonte pode implicar em medidas de acordo com a lei de direitos autorais.