Agosto Lilás é mês de ações para a conscientização pelo fim da violência contra a mulher

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Búzios realiza programação nas unidades escolares para abordar temas com os estudantes e divulgar os serviços especializados da rede

O mês de agosto é destinado a campanha de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher. O chamado “Agosto Lilás” é para conscientização. Não se pode falar em violência doméstica sem citar a necessidade de políticas públicas para proteção delas.

No município, a secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, em parceria com a secretaria da Mulher e do Idoso realizará durante o mês ações de sensibilização e conscientização sobre o enfretamento à violência contra a mulher, medidas preventivas de educação e cidadania.

Os encontros serão realizados por meio do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM), com estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental. Além de aborda tema, será divulgado os serviços especializados da rede de atendimento à mulher em situação de violência e os mecanismos de denúncia existentes na cidade.

Publicidade

Segue abaixo o cronograma das unidades escolares:
9 de agosto (terça-feira) – MANHÃ: INEFI
9 de agosto (terça-feira) – TARDE: INEFI
16 de agosto (terça-feira) – MANHÃ: Nicomedes
16 de agosto (terça-feira) – TARDE: Nicomedes
23 de agosto (terça-feira) – MANHÃ: Regina da Silveira
23 de agosto (terça-feira) – TARDE: Regina da Silveira
30 de agosto (terça-feira) – MANHÃ: Darcy Ribeiro
30 de agosto (terça-feira) – TARDE: Darcy Ribeiro

Sobre “Agosto Lilás”

O “Agosto Lilás” foi instituído pela Lei Estadual n° 4.969/2016, com o intuito de intensificar a divulgação da Lei Maria da Penha, lei Federal n° 11.340/2006, assinada no dia 7 de agosto de 2006. Neste ano a Lei completa 16 anos.

Dados em Búzios

Em Búzios, uma equipe especializada presta apoio às vítimas de violência: é a Patrulha Maria da Penha, da Guarda Civil Municipal. Do dia 8 de março de 2021 até 31 de julho deste ano foram registradas cerca de 699 ligações telefônicas, entre elas 259 chamados de ocorrência, e 15 agressores foram presos em flagrante. Atualmente, são cerca de 191 vítimas com medidas protetivas expedidas pelo poder judiciário no município. Essas mulheres são monitoradas periodicamente pela equipe, via telefonema ou visita domiciliar.

Por: Natalia Nabuco, estagiária sob supervisão da jornalista Monique Gonçalves.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Últimas Notícias

DESEMPREGO

Setor de Petróleo e Gás em Macaé perde quase 17 mil empregos entre 2014 e 2022

Esporte e Meio Ambiente

Saquarema reúne atividades esportivas e preservação ambiental em um dos maiores festivais aquáticos

PRÊMIO DA ALERJ

Vereadora Iza Vicente será homenageada pela Alerj com o prêmio Dandara

META ALCANÇADA

Molon arrecada R$100 mil e atinge primeira meta da vaquinha virtual

ERRAMOS: Comunidade Quilombola de Baía Formosa, em Búzios, vai finalmente receber o direito às terras

TRISTEZA NA ALDEIA

Prefeitura de São Pedro da Aldeia confirma morte de frentista vítima de acidente em posto de combustível