Prefeitura de Iguaba Grande segue passos de Maricá e Cabo Frio e sanciona moeda social

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A Caboclinho vai atender inicialmente 2083 famílias e movimentar cerca de 250 mil reais por mês no município

A Prefeitura de Iguaba Grande está seguindo os passos de Maricá e Cabo Frio e sancionou esta semana uma moeda própria destinada às famílias em vulnerabilidade social. Caboclinho, como foi chamada a moeda, vai atender, inicialmente, 2083 famílias com o valor de 120 Caboclinhos, o equivalente a R$120 reais por mês. A Lei 1.403/2022, sancionada pelo prefeito Vantoil Martins, tem o objetivo de reduzir os impactos financeiros da pandemia da Covid-19, além de promover o desenvolvimento do comércio local. Segundo o chefe do executivo, a moeda vai movimentar cerca de 250 mil reais por mês.

“O benefício que será destinado às famílias deve ser utilizado somente nos comércios cadastrados de Iguaba, ou seja, são cerca de 250 mil reais, mensalmente, circulando na cidade. Isso significa desenvolvimento do comércio local, gerando mais empregos”, declarou Vantoil

O monitoramento do programa municipal ficará na responsabilidade da Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Renda. As famílias atendidas receberão um cartão para utilização nos comércios da cidade que aderirem à iniciativa. As empresas que se cadastrarem para vender através da moeda social terão custo zero em pagamentos de taxas. Aos comerciantes que tenham interesse em fornecer bens e serviços poderão se credenciar através da Agência de Desenvolvimento Econômico e Urbano, em um cronograma que será divulgado.

“A moeda social é um grande sonho sendo realizado. Muitas famílias da cidade estão em situação de pobreza ou extrema pobreza, e é nosso papel trabalhar para que essas pessoas em vulnerabilidade tenham qualidade de vida e oportunidades. Esse é o papel da nossa secretaria.” Afirmou a secretária Claudia de Souza.

Como ter direito ao programa?

Para estar apto a receber a Caboclinho, é necessário estar com o Cadastro Único atualizado há pelo menos dois anos; possuir renda mensal de até 50% do salário mínimo nacional e residir no município de Iguaba Grande há pelo menos três anos.

 A secretaria de Assistência Social, Trabalho e Renda criou uma equipe técnica composta por assistentes sociais que realizarão o monitoramento, acompanhamento e encaminhamento intersetorial das famílias beneficiárias. As equipes também responderão pela identificação e avaliação das famílias com perfil para o programa, de acordo com os critérios e prioridades estabelecidos na lei.
 
Será elaborado um cronograma posterior para o cadastro das famílias eletivas ao benefício.

 Por que Caboclinho?
 
A moeda social foi batizada de Caboclinho em homenagem a Ormindo Barreto da Costa, conhecido popularmente como “Caboclinho.” Ormindo foi um ilustre cidadão iguabense, exercendo mandatos como vereador e vice-prefeito no município de São Pedro da Aldeia, quando Iguaba ainda não havia se emancipado.
 
Caboclinho teve destaque na cidade como empresário industrial no ramo da moagem de ostras, atividade econômica importante nas décadas de 60, 70 e 80, no entorno da Laguna de Araruama. As conchas eram extraídas da lagoa e transportadas em lanchas para as moagens, onde eram transformadas em farinha de ostras, produto muito utilizado no preparo de rações para animais e em outras utilidades fabris. Depois de ensacado, o produto era vendido para os grandes centros, principalmente São Paulo e Minas Gerais.

Mais dois locais na cidade levam o nome de Caboclinho como homenagem: a ponte que corta a Rodovia Amaral Peixoto, na Estrada do Arrastão e o plenário da Câmara Municipal.

  

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email