Mangue de Pedras sofre intervenção irregular

PROLAGOS 300_250

Em despacho emitido nesta sexta-feira (31), o Ministério Público Federal solicita a manifestação da prefeitura de Búzios, sobre os danos ambientais causados pela retirada de pedras e abertura artificial de entrada para embarcações de pesca, na área do Mangue de Pedras.

No documento, o MPF pede que a prefeitura informe se essas intervenções foram autorizadas pela municipalidade e quais são as medidas adotadas para reparar e mitigar os danos ambientais na área, com comprovação documental. O município tem prazo de 20 dias para se manifestar.

De formação ambiental extremamente delicada, e único no mundo, segundo a geóloga e pesquisadora Kátia Mansur, o Mangue de Pedras de Búzios teve sua área transformada em APA – Área de Preservação Ambiental, em 2018, mas até hoje aguarda seu plano de manejo. Ao longo dos anos, o local tem sido alvo de ocupações irregulares, incêndios criminosos e especulação imobiliária, que ameaçam diretamente a sua flora e fauna.

Comentários