Empresários da Costa do Sol se reinventam com criatividade durante a pandemia

PROLAGOS 300_250

Negócios do Interior do Rio usam criatividade para atravessar a crise

Quantas vezes você já ouviu que o mercado de eventos foi o primeiro setor a parar por causa da pandemia e será o último a retornar? E é exatamente isso. Nestes últimos quatro meses empresários amargam prejuízos, e vivem a incerteza da situação.

Segundo dados da Associação Brasileira de Empresas e Eventos – Abeoc – somente nos dois primeiros meses da pandemia, o mercado teve um prejuízo de R$ 80 bilhões no Brasil. O setor de eventos vinha num crescente e foi um dos únicos a passar pela crise econômica em ascensão. Em 2019 o crescimento foi de 14%, e por isso trazia uma expectativa muito positiva para este ano.

Trazendo esta situação para o interior do Rio, o baque foi o mesmo. O setor de eventos sociais representa uma parte importante da economia e é um grande gerador de empregos e renda, além de impulsionar os pequenos negócios.

Especificamente no setor de casamentos e festas, totalmente engessado desde março, a pandemia adiou sonhos e fechou muitas portas. Mas como trabalhar com a alegria das pessoas requer sempre muita criatividade, estamos vendo empresários se reinventando e uma rede colaborativa trabalhando para enfrentar essa crise.

Os jovens Lorena Schuvartz e Fred Costa estavam há mais de um ano planejando o dia do casamento, marcado para 4 de abril em Rio das Ostras. Uma festa badalada para 250 convidados estava pronta quando chegou a pandemia. A notícia caiu como uma bomba e fez a noiva chorar e perguntar porquê?

Tiveram que arregaçar as mangas para negociar com os quase 20 fornecedores envolvidos na produção do casamento, que primeiramente foi adiado para outubro próximo, e nessa semana passou para novembro de 2021. “No primeiro momento foi um choque. Poderíamos imaginar qualquer tipo de imprevisto, menos uma pandemia. Quando adiamos a primeira vez, eu estava insegura, triste, mas agora, quando decidimos fazer a festa em 2021, estou em paz e vou aproveitar esse ano para fazer coisas que não tive tempo”, disse Lorena, que ficou encantada com a parceria dos fornecedores, que não pouparam esforços para atendê-la nas decisões.

Não está sendo fácil para os fornecedores que estão parados e vendo o faturamento de 2020 indo para o ano que vem. Mas muita gente está se reinventando e criando novos produtos e negócios.

O casal Marcos e Flávia Lobão, do Alquimia Bartenders, que fazem serviço de bartender em eventos, foi rápido. Já em março lançaram um serviço de drinks por delivery, uma novidade que agradou o mercado e incentivou a criação de outros produtos.

O Alquimia em Casa leva o blend, os acessórios e até os copos de 12 diferentes drinks para clientes em Rio das Ostras e Campos. Com isso, Marcos e Flávia conseguiram manter os funcionários e crescer a empresa. “A pandemia fez com que a gente tirasse do papel vários projetos que não tínhamos colocado em prática por falta de tempo. Vimos esse momento como uma oportunidade e deu certo!”, explicou Marcos que hoje já está oferecendo cursos de coquetelaria pela internet e para o Dia dos Pais vai lançar outro produto, os kits presente.

Com uma equipe gigante, capaz de fazer até quatro eventos ao mesmo tempo, o Buffet Gomes Barreto, de Campos, também apostou no delivery para tentar garantir o emprego de parte dos colaboradores, e também deu certo. Mais de 50% da equipe ficou, e eles conseguiram ajudar também parte dos freelancers.

A equipe de salgados produz para delivery, daqui a pouco outra parte vai trabalhar na pizzaria que está sendo montada no segundo andar do depósito de materiais, e em seguida, os empregados que foram dispensados devem voltar para atender a demanda da comida em casa que também vai sair do papel nos próximos meses. “Tínhamos uma estrutura muito grande e muitas famílias que dependiam de nós. Nos reinventamos e abrimos novos negócios, assim garantimos o emprego da maioria dos nossos funcionários”, contou o sócio Rafael Barreto, que acredita nesta rede de apoio mútuo para enfrentar este tempo.

Caminhando junto com os fornecedores e as noivas, debutantes e formandos, está quem trabalha com o objetivo de aproximar todo esse pessoal – os organizadores de feiras e eventos. As sócias Paula Meireles e Valéria Pinheiro, do Simplesmente Noivas, também estão com os negócios parados, mas na expectativa de um futuro agitado, estão sempre “inventando” formas de se aproximar dos consumidores e gerar negócios.

O Salão Simplesmente Noivas, é uma feira de negócios que divulga produtos e serviços para o público final e proporciona o network e a troca de experiências e conhecimento entre fornecedor há sete anos, em Rio das Ostras. “O Salão é um evento maior que reúne mais de 60 expositores por ano, e os Encontrinhos, que são menores, acontecem bimensalmente. Estamos impossibilitadas de realizá-los, pelo menos até agora, mas temos que estar unidos em nossas dores e trabalhar para ser lembradas como parceiras na hora de atender a demanda reprimida quando isso tudo passar. Uma das iniciativas foi a campanha ‘Não cancele, adie’, que lançamos nas nossas redes para incentivar o adiamento dos eventos e demos espaço para nossos parceiros”, disse Valéria.

Paula além de organizar eventos, é proprietária da Pousada Latitude 22 – Espaço de Eventos e conhece as duas faces do problema. “Não podemos desanimar nem parar. Estamos sempre apoiando as noivas e os fornecedores, e também estou me reinventando no meu próprio negócio. Como tenho um sítio muito grande, estou recendo artistas para lives e servindo de cenário para fotografias, porque são atividades que reúnem pouca gente”, contou.

Os eventos são alternativas para abertura de novos mercados, e as feiras também aquecem outros setores, o que as tornam mais atrativas para apostar na divulgação das empresas e das cidades.

A esperança de todo esse mercado é que, em breve, os eventos voltem a acontecer dentro de uma nova realidade. Serão menores, com muitos protocolos de segurança, mas com certeza muita alegria. 

Comentários