Rio das Ostras: Denúncias de violência contra mulher em aumentam em 133%

PROLAGOS 300_250


Números são referentes aos meses de abril e maio.

Os números de denúncias de violência contra mulheres, aumentaram em Rio das Ostras, desde o início da pandemia do Novo Coronavírus. Dados do Núcleo de Atendimento a Mulher apontam que os números subiram em 133% entre os meses de abril e maio. Neste período, a equipe técnica da unidade tem monitorado o dia a dia das mulheres por meio de busca ativa.


Estas buscas ativas são realizadas com dados da Secretaria de Saúde, da Patrulha Maria da Penha, das unidades do Centro de Referência de Assistência Social (Cras), do Centro de Referência Especializada de Assistência Social (Creas), além do 180, número telefônico destinado às denúncias de mulheres vítimas de violência doméstica.


A equipe técnica identifica os casos mais emergenciais, fazem o agendamento para atendimento presencial de acordo com a necessidade individual de cada mulher e iniciam as articulações devidas a cada caso. 


O objetivo do Ceam neste momento é apoiar as mulheres neste momento de pandemia para que não se sintam sozinhas.“Esse atendimento gera um diálogo bem extenso, e dependendo da demanda, convidamos a vítima para vir até o Centro Especializado de Atendimento à Mulher para alinharmos algumas ações presenciais junto à rede de enfrentamento. É fundamental criar estratégias para não perder contato com estas mulheres que precisam das nossas ações”, disse Rosinete Costa, diretora do Ceam.


O Ceam é o Centro Especializado de Atendimento à Mulher e oferece de forma gratuita, serviços que podem contribuir com o enfrentamento da violência doméstica, familiar e de gênero. No local são oferecidos atendimentos social, psicológico e jurídico.


Logo no início da pandemia, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Bem-Estar Social, lançou o número de WhatsApp (22) 99870-8546. De lá pra cá, Rio das Ostras dobrou o número de atendimento com mais de 100 atendimentos entre abril, maio e junho. O canal fica disponível 24 horas, todos os dias da semana, inclusive domingos e feriados.


Além do WhatsApp, o Ceam disponibiliza o telefone fixo da unidade (22) 2771-3125. O local, localizado no início da Avenida Governador Roberto Silveira, fica aberto de segunda a sexta, com horário reduzido das 9h às 16h durante a pandemia da Covid-19. Além disso, a Patrulha Maria da Penha, ligada a Guarda Civil Municipal e que socorre mulheres vítimas de violência doméstica, atende pelos telefones (22) 2771-5000 e 0800-022-6382.

No Ceam são desenvolvidas ainda atividades e ações como palestras, cursos, capacitação e oficinas, visando o fortalecimento e o resgate da cidadania das mulheres vítimas de violência. O Centro também exerce o papel articulador junto à rede de atendimento para assegurar o acompanhamento e o acolhimento necessários à superação da situação de violência. Cria mecanismo para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher.

Comentários