Profissionais da Educação protestam na Praça Porto Rocha em Cabo Frio

Ato iniciou as 10h obedecendo as orientações da Organização Mundial da Saúde

Segundo comunicado do Sepre Lagos na manhã desta sexta-feira (26), as razões para protestar são muitas: demissões em massa, atrasos e escalonamentos salariais constantes, não pagamento dos aposentados e aposentadas da educação, que estão sem receber salários de maio, a não convocação dos aprovados no concurso de 2009, dentre muitas outras irregularidades.

Os trabalhadores também manifestam oposição à tentativa do Governo Adriano Moreno (DEM) de impor, por meio do Projeto de Lei (PL) 01/2020, o aumento da alíquota previdenciária de 11 para 14%. Isso significará, na prática, o achatamento dos salários dos trabalhadores em educação, que não são reajustados há muito tempo.

Este projeto também implementa mudanças no Instituto de Benefícios e Assistência aos Servidores Municipais de Cabo Frio (Ibascaf), alterando a composição do Conselho de Administração (Consad) da autarquia.

Neste ato público os trabalhadores respeitam as recomendações de instituições como a Organização Mundial da Saúde (OMS): a todo momento mantêm uma distância mínima de 2 metros entre si, usam máscaras e escudos faciais de acrílico e estão munidos de álcool etílico em gel a 70% para assepsia das mãos e higienização de superfícies e objetos.

Leia também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.