Prefeito de Búzios terá de responder por irregularidades na aquisição e distribuição de cestas básicas

Ministério Público constatou superfaturamento de mais de um milhão de reais 

Viralizou nas redes sociais uma foto das embalagens molhadas após uma forte chuva que atingiu a cidade

A distribuição de cestas básicas a famílias em vulnerabilidade social durante a pandemia em Búzios  ganhou um novo capítulo e projeção nacional na noite de quinta-feira (20). Isso porque o Ministério Público do Estado do Rio de janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva – Núcleo Cabo Frio, ajuizou, na segunda-feira (18), ação civil pública por improbidade administrativa contra o prefeito de Armação dos Búzios, André Granado, dois secretários municipais e empresários. O motivo irregularidades na aquisição e distribuição dos kits que estariam superfaturados em mais de um milhão de reais.

A Comarca de Armação dos Búzios atendeu o pedido do MPRJ impedindo que o pagamento de  R$ 3.705.000,00 à empresa Suncoast Log Comércio e Distribuição de Alimentos Eireli ocorressem sem a prestação de contas, evitando desta maneira, o dano financeiro ao município. 

Além disso o órgão requereu a nulidade da contratação, a condenação dos demandados pela prática de atos de improbidade administrativa e, ainda, das pessoas jurídicas demandadas pela prática de atos lesivos à administração pública municipal previstos na Lei Anticorrupção. A ação também pede que os envolvidos sejam obrigados a pagar indenização para compensar danos morais coletivos. 

As cestas estão armazenadas na quadra no Instituto de Educação e Formação Integral (INEFI), no bairro Rasa. Na última semana,  viralizou nas redes sociais uma foto das embalagens molhadas após uma forte chuva que atingiu a cidade. Perguntada se houve perda de algum item e se o estoque foi enviado para algum local, a Prefeitura ainda não respondeu.

Leia a íntegra da inicial

Das irregularidades identificadas

A empresa Suncoast Log foi constituída no ano de 2019, com sede em Saquarema, não tem empregados e veículos registrados, possui uma única sócia e havia emitido apenas uma nota fiscal antes de ser contratada pelo município por dispensa de licitação.

A investigação apurou que não havia no processo administrativo estudo prévio que justificasse a aquisição de 19 mil cestas básicas, considerando que o município de Armação dos Búzios tem população de aproximadamente 34 mil habitantes. 

Também foi constatado que os produtos foram fornecidos por empresa diversa da contratada, por valor 20% inferior ao pactuado. Por fim, o MPRJ verificou a falta de, ao menos, 8.677 kits de higiene que deveriam compor as cestas e, supostamente, já teriam sido fornecidos ao município.

Cobertura da Prensa 

A Prensa acompanha a distribuição dos kits desde a discussão do PL enviado à Câmara Municipal. E pontua por meio de matérias cada trecho agora ajuizado pelo MPRJ. Em vídeo que circulou pelas redes sociais e publicado no jornal Folha de Búzios e no Blog Iniciativa Popular, é possível ouvir o prefeito André Granado acusando e utilizando palavrões ao se referir a ativistas que, segundo ele, impediam a “distribuição” dos kits à população.

A Prensa também trouxe a Roda da Prensa, live do veículo no facebook, o ativista e ex-vereador de Búzios, Flávio Machado, que narrou todos os fatos descritos na ação. 

Acompanhe a linha do tempo de acontecimentos

Leia também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.