Diário do Fim do Mundo #11- por Sandro Peixoto (falsa obviedade)

Búzios 4 de abril de 2020

Uma velha anedota conta a história de um português que ao passar sua mala no raio-x do aeroporto teve detectada uma bomba em sua bagagem. Preso imediatamente, foi levada à uma sala para devido interrogatório.
Perguntado à qual célula terrorista pertencia, Manoel ( nome fictício, poderia ser Joaquim) disse que jamais fora terrorista.

Mas então, qual o motivo de ter uma bomba na mala?-
Perguntou um dos policiais.


A resposta do passageiro foi estupenda:

“Senhores, eu li numa revista que a probabilidade de haver uma bomba num avião era de 1 a cada 6 milhões de vôos. E de ter duas bombas era de 1 a cada 200 milhões de vôos. Eu trago sempre uma comigo e assim diminuo meu risco. “


A piada acima serve de introdução para uma ideia maluca que tive outro dia. A ser verdade que quase todos iremos pegar o tal do coronavírus, o ideal seria pegar logo. Enquanto temos leitos vazios e respiradores sobrando. A ser ruim agora, muito pior depois.

Até pensei (e logo desisti) em tentar me contaminar de propósito. Seria o primeiro da cidade. Faria história e teria mais chances se receber um bom atendimento hospitalar enquanto o tão esperado colapso do sistema de saúde não acontece.


A ideia pode parecer absurda, e é, mas é bom lembrar que a atriz Angelina Jolie extirpou os próprios seios para evitar um provável câncer de mama. O histórico familiar a levou a extrema medida.


Melhor não. Melhor ficar em casa o máximo que puder e quando, e se precisar sair, tentar o menor contato possível com quem quer que seja. Até mesmo com Angelina Jolie, caso apareça de bobeira, chateada, e em busca de companhia. Fiquei sabendo que ela está solteira.

*Sandro é articulista e cronista de Búzios e com seu humor peculiar narra sua aventura de ver Búzios de uma forma até então nunca vista/ Prensa

Este é um artigo de opinião de responsabilidade do seu autor e não representa necessariamente a opinião do Jornal.

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.