Diário do Fim do Mundo #7 por Sandro Peixoto (medo)

Búzios 29 de março de 2020 Por

Quem viver verá

Estamos hoje em quarentena pela preservação da saúde. É de extrema importância que fiquemos ( quem pode é lógico) em casa para evitar ou diminuir o contágio. O vírus que hora nos aterroriza não anda nem voa, precisa de um hospedeiro para seguir contaminando.

Essa opção dos governantes pela reclusão forçada não é uma decisão alheia à realidade econômica. Depois de China e Itália (países que mais sofrem com a pandemia) ficou claro que é nesse momento que acontece o pico de disseminação. Portanto, hora de se resguardar.

A Itália 30 dias atrás tinha apenas 17 óbitos de Covid19. Milão, epicentro da crise estava com lojas, escolas, faculdades e restaurantes fechados. Os lojista lançaram um vídeo (apoiado pelo prefeito e reproduzido aqui por Bolsonaro) onde mostrava que Milão não podia parar. Depois disso a quarentena foi abrandada e um mês depois 10 mil pessoas morreram e a conta não para de crescer.

O apelo por trás do vídeo era que a economia não podia parar por causa de uma “gripezinha”- mesma tese defendida pelo miliciano que por enquanto ocupa o Palácio do Planalto. Deu no que deu.

Se antes os italianos estavam em quarentena por causa da saúde, daqui por diante eles irão ficar em casa sem consumir pois estarão todos falidos. Os mortos agradecem.

Este é um artigo de opinião de responsabilidade do seu autor e não representa necessariamente a opinião do Jornal.

*Sandro é articulista e cronista de Búzios e com seu humor peculiar narra sua aventura de ver Búzios de uma forma até então nunca vista/ Prensa

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.