Coronavírus: Arraial do Cabo proíbe entrada de ônibus e vans de turismo no município

Em decreto publicado nesta segunda-feira (16), a Prefeitura de Arraial do Cabo proibiu, por tempo indeterminado, o ingresso na cidade de ônibus e vans que transportes excursionistas. Esta é mais uma medida para evitar a propagação do Covid-19. No fim de semana, milhares de excursionistas, em sua maioria procedentes de Minas Gerais e da Baixada Fluminense, se aglomeraram em praias da Região dos Lagos, principalmente em Cabo Frio.

— A medida é correta, como ação preventiva, pois o vírus possivelmente vai chegar à região através destes ônibus de excursão com visitantes vindos de outros pontos do país. Outros prefeitos, como o de Cabo Frio, deveriam tomar a mesma iniciativa – disse a presidente da Associação Comercial de Cabo Frio, Patrícia Cardinot.

No sábado e principalmente no domingo, centenas de ônibus e vans, a maioria sem autorização para transporte de turistas e sem guias credenciados invadiu as praias da Região dos Lagos por falta de fiscalização nas rodovias e nas cidades, onde o trabalho deveria ser feito pela Guarda Municipal.

Ao contrário dos ônibus que têm como destino hotéis e pousadas, os piratas circulam com excesso de passageiros, que ficam aglomerados nas praias. Na Praia do Peró, por exemplo, as vans e ônibus piratas chegaram cedo, desembarcaram os turistas e só voltaram no fim da tarde para buscá-los.

Nas aglomerações, os excursionistas dividem alimentos e bebidas sem os cuidados com a higiene, pois as praias não dispõem de locais para banho e sequer torneiras para que os banhistas lavem as mãos, como recomendam os médicos para evitar a propagação do vírus.

O secretário municipal de Turismo, Paulo Cotias, disse que vai se reunir com os colegas de Arraial do Cabo e de Búzios para criação de um consórcio intermunicipal para administrar o problema. Na Costa Verde, o transporte pirata é combatido numa parceria entre as prefeituras, o Detro, a Polícia Rodoviária Federal e o Batalhão de Polícia Rodoviária da PM.

Prensa reforça que hábitos simples de higiene são as melhores formas de prevenção da doença, como lavar bem as mãos com água e sabão ou utilizar álcool em gel; cobrir o nariz e boca ao espirrar ou tossir; não compartilhar objetos pessoais; evitar aglomerações e manter os ambientes ventilados de acordo com orientações do Ministério da Saúde.

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.