Escolas de Cabo Frio com atividades suspensas por atraso no salário dos servidores

São 64 escolas fechadas. Vereador de oposição se junta aos manifestantes

Aviso colado na entrada da Escola Nilo Peçanha

Na manhã desta quinta-feira (9) quem foi às escolas municipais de Cabo Frio encontrou cartazes nas entradas informando que estão suspensas as atividades devido ao não pagamento dos servidores  da educação. Mais uma vez chegou o 5º dia útil do mês e o salário de dezembro não foi depositado nas contas dos servidores públicos cabofrienses. Um ato público foi realizado pelo Sindicato dos Professores (Sepe-Lagos) nesta quarta-feira (8), e um novo ato está marcado para sexta-feira (10). 

O SEPE explica que soma-se a ao novo atraso do salário de dezembro, o atraso do 13º salário de 2019 de todos os profissionais concursados e de grande parte dos contratados, o não pagamento dos adicionais de férias, o não carregamento dos vales-transportes (mesmo com a prefeitura descontando normalmente dos salários a porcentagem relativa à contribuição dos trabalhadores para esse benefício), fora as dívidas antigas de retroativo de quinquênios e triênios que estão sem previsão de pagamento, de acordo com o sindicato, há meses e a negativa da prefeitura em negociar um novo reajuste salarial que permita aos servidores não sofrerem com a carestia das tarifas públicas de energia, transporte, água, gás de cozinha e outros. 

Vereador Rafael Peçanha, que também e professor e servidor público do município

A Prefeitura de Cabo Frio ainda não se manifestou sobre o problema. O vereador Rafael Peçanha (PDT), líder da oposição, em comunicado nas redes sociais, manifestou decepção com o poder judiciário no que expressou ser uma “luta contra os abusos do governo Adriano em relação ao servidor”. O parlamentar afirmou também que só resta ir às ruas em defesa da categoria e que está à disposição para esta luta nas vias da cidade. 

Também houve comunicado em redes sociais

“Não me resta alternativa, a não ser seguir nesta dupla missão de somar ações parlamentares e mobilizações, intensificando, a partir de agora, a luta nas ruas.”, disse. 

Para o Sepe, “com esse novo atraso, o Governo Adriano e a sua Secretaria Municipal de Educação mais uma vez dão uma mostra do quanto desprezam o trabalho dos profissionais que se dedicam ao trabalho árduo nas escolas municipais de Cabo Frio”, constava na nota publicada nesta quarta. 

Leia também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.