Vereador denuncia ao MP atraso no pagamento e no décimo-terceiro do servidor em Cabo Frio

Na tarde desta sexta (3), o vereador líder da oposição em Cabo Frio, Rafael Peçanha, entrou com uma representação junto ao Ministério Público, denunciando o atraso no pagamento dos servidores e no décimo-terceiro da categoria.


“O calendário divulgado já fere o artigo 98 da Lei Orgânica. Não tem desculpa, é um absurdo”, disse Rafael.

O vereador, que também é servidor concursado do município, lamentou a ineficiência do Judiciário em denúncias anteriores que fez sobre o assunto, mas ressaltou algumas diferenças neste caso:

“Estamos no início do ano, pico de arrecadação. A Câmara aprovou uma liberação para o prefeito remanejar o orçamento na ordem de quase 90 milhões de reais, pedido que ele mesmo fez oficialmente, dizendo que usaria essa liberalidade para pagar o servidor. A Câmara aprovou projeto de lei de minha autoria que normatiza o calendário de pagamento, o prefeito vetou, nós derrubamos. Logo, a situação hoje é mais grave, todos os elementos indicam irresponsabilidade e ausência de justificativa. Infelizmente, a Justiça não foi tão eficiente como, na minha opinião, deveria ter sido em denúncias anteriores que fiz sobre atrasos de salários. Mas é preciso insistir na luta, utilizando todos os meios legais possíveis através do mandato que me foi conferido pelo povo. Já fiz projetos de leis, requerimentos, denúncias como esta, participo das mobilizações nas ruas contra esses abusos…é uma luta árdua, não podemos parar”, desabafou Peçanha.

vereador Rafael Peçanha/ Foto interna divulgação e capa Eduander Silva


O parlamentar também notificou a Secretaria de Saúde, pedindo explicações sobre a licitação de 52 milhões de reais em medicamentos na noite do dia 23. Para Rafael, “a prefeitura já gastou milhões em medicamentos, quer gastar mais, mas ninguém vê remédio em posto ou hospital”.


Peçanha lembrou ainda que notificou a Secretaria de Mobilidade Urbana, solicitando informações sobre a licitação dos parquímetros de estacionamento, que não consta no Portal da Transparência. Rafael apresentou requerimento sobre o caso no dia 19 de dezembro, última sessão da Câmara do ano de 2019, conseguindo sua aprovação por unanimidade. O Poder Executivo tem 30 dias para enviar todas as informações sobre o assunto para o vereador.

Ofício e requerimentos enviados, pedindo explicações sobre os parquímetros.


Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.