Não é óleo: entenda o que é o material de cor preta na Praia do Forte em Cabo Frio

BeachRock

Devido ao desastre ambiental ocorrido no nordeste por conta da contaminação das praias por uma grande quantidade de óleo bruto, e do surgimento de fragmentos em uma praia de São João da Barra e Quissamã, e pelo ESTADO DE ATENÇÃO adotado pelas cidades litorâneas do estado do Rio de Janeiro, as pessoas evidentemente de boa fé e munidas de justificável preocupação, estão bastante alarmadas, o que, devido também a velocidade com que se propaga a notícia nas redes sociais, imagens de material de cor preta na Praia do Forte, em Cabo Frio, chamaram atenção.


A Defesa Civil do Município publicou uma nota explicando que em Cabo Frio, por conta das excessivas variações de marés e também pelo aumento cíclico do nível do mar, característico dessa época do ano, houve um processo de erosão costeira na praia do Forte, o que expôs a formação de uma rocha chamada beachrock.


Trata-se de um arenito, ou seja, uma rocha sedimentar que consiste de uma mistura variável de cascalho, areia e lodo, cimentado com carbonato de minerais, que se forma dentro da zona entre marés e são cobertas pela areia não consolidada.


Essa rocha possui uma cor escura, é porosa e sua aparência se assemelha ao carvão, o que têm levado as pessoas a confundirem com fragmentos de óleo.


“É louvável e bem vindo o monitoramento voluntário, mas a Defesa Civil de Cabo Frio esclarece que elaborou um Plano de Emergência o qual garante junto a outros órgãos municipais, estaduais e federais uma coordenação de ações eficientes de monitoramento e resposta para o caso de surgimento de óleo em nossas praias.”, diz um trecho da nota.


A base da Defesa Civil de Cabo Frio fica no Terminal de Transatlânticos, Avenida Assunção s/n, e também pode ser contactada pelos telefones 199 ou 2647-0199.

Leia também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.