Combate ao racismo é tema de dois projetos aprovados na Alerj esta semana

Dois projetos aprovados esta semana, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), trataram da questão racial no Brasil. Ambos tem como objetivo a urgência do combate ao racismo no país. Na quarta-feira (16), a Casa aprovou por unanimidade o PL, de autoria da deputada Renata Souza (PSOL), que inclui o Dia da África no calendário oficial do estado.  Já na quinta-feira (17), foi acatado um projeto de resolução, elaborado pelas parlamentares Monica Francisco, Dani Monteiro e além de Renata, que versa sobre ações para coibir o racismo institucional dentro da própria Alerj.

“Esta Casa precisa apresentar um empenho corajoso e honesto em combater o racismo nesse país. Não podemos permitir que as instituições mascarem um problema social real e gravíssimo. Quando incluímos oficialmente uma data como essa no calendário oficial, estamos na contramão da tentativa de apagamento da nossa história. Quando criamos um programa permanente de enfrentamento a práticas racistas, é porque sabemos o quanto elas inibem a presença de mais negros nesse espaço. É essa a realidade que lutamos para mudar todos os dias”, frisa Renata.

Representação negra na Alerj
5,71%. Essa é a porcentagem de parlamentares negros ocupando a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) em 2019. A maioria segue branca: 48 parlamentares eleitos se identificaram desta forma – 68,57%. Mais 25,71% se consideram pardos, o caso de 18 políticos da Casa.

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.