Criança de dois anos morta em Macaé é enterrada nesta terça-feira (13). Padastro, apontado como suspeito pelo crime, é preso em Cabo Frio

Foi enterrado na manhã desta terça-feira (13), no Cemitério Memorial da Igualdade, o corpo do menino Henzo Gabriel Machado, de dois anos e oito meses, que foi encontrado morto em um valão no bairro Aroeira nessa segunda-feira (12) em frente à casa onde morava, em Macaé.
Segundo a Polícia Civil, que investiga o crime, o padrasto da criança, que  é o principal suspeito do crime, foi preso no início da tarde desta terça-feira (13),  na comunidade Buraco do Boi, em Cabo Frio, onde estava escondido desde o crime. Alisson Correia Viana, de 19 anos, foi encontrado por policiais militares do 25º Batalhão da PM. Ele é apontado como assassino do garotinho.  Segundo a PM, ele foi agredido e baleado pelos próprios traficantes da comunidade . A prisão de Alisson ocorreu após uma denúncia anônima. Ele foi levado para a 126ª Delegacia Policial de Cabo Frio (126ª DP), de onde deverá ser transferido para a 123ª Delegacia Policial de Macaé (123ª DP) ainda hoje.

O corpo da criança foi localizado por moradores que acionaram o Corpo de Bombeiros.
A polícia informou que obteve relatos de parentes de que Henzo e a família estavam reunidos no último domingo (11), Dia dos Pais, quando o padastro da criança teria discutido com a mãe, Sabrinha Machado, de 24 anos, na casa onde moram, no bairro Aroeira.
O tio do garoto teria relatado à polícia que foi uma discussão boba, como todo casal tem. E por volta das 19h, o padrasto estava na frente de casa brincando com o Henzo e outras crianlas, e do nada ele pegou o menino e falou com a família que ele ia matar a coisa que ele mais amava, pegou o Henzo e saiu correndo.
A mãe ainda tentou correr para pegar a criança, mas não conseguiu alcançar o padastro. Desde então, Sabrina compartilhou fotos do menino e do companheiro nas redes sociais, na tentativa de localizar o filho. Nessa segunda-feira (12), Sabrina teria conseguido falar com o padastro do filho pelo telefone, que afirmou que o menino estava bem e que já iria devolvê-lo. Horas depois, o corpo foi encontrado no valão.
O laudo da necropsia apontou asfixia mecânica por afogamento como causa da morte. A perícia apontou marcas de violência no rosto de Henzo.

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.