Pra brasileiro ver:

Pan de Lima 2019

Como não aprendemos com os erros, aparece agora a grande oportunidade de aprendermos com os acertos. Se há uma semana havia o risco da Colômbia aparecer no retrovisor brasileiro, hoje a coisa é bem diferente: o único que pode nos superar somos nós mesmos quebrando um recorde de medalhas que é do Pan de 2007. Na época conseguimos 52 ouros e 157 medalhas no total. Faltam dois dias de competições para o encerramento do Pan de Lima e até o momento a equipe verde-amarela conquistou 46 ouros de um total de 142 medalhas!

Em todas as seguintes modalidades o Brasil conquistou medalha: Judô, atletismo, natação, caratê, tiro com arco, vela, surfe, ginástica rítmica, triatlo, patinação artística, taekuondo, ciclismo mountain bike, tiro esportivo, canoagem velocidade, hipismo, pentatlo moderno, esqui aquático, vôlei de praia, boxe, levantamento de peso, boliche, handebol, badminton, ciclismo pista, saltos ornamentais, tênis, maratona aquática, canoagem slalon, vôlei, esgrima, tênis de mesa, ciclismo estrada, remo, luta olímpica, pelota basca, ciclismo BMX.

E ainda estamos na disputa no pólo aquático, vôlei (quadra) e basquete feminino, tiro com arco, vela, atletismo, natação, judô, caratê, tênis de mesa, remo, esgrima, ciclismo e fisioculturismo.

Ou seja, a delegação canarinho tem tudo para superar a si mesma em conquistas. Mas isso não pode ser motivo de comemoração momentânea. É preciso tomar a demonstração de potencial, materializada em medalhas, em aprendizado, planejamento, investimento e profissionalização de atletas.

Manter o alto rendimento não pode ser obra do apoio familiar ou do acaso de um talento extraordinário. Esporte é investimento e treinamento adequado! Esporte é coisa séria!

*Rafael Alvarenga é professor de Filosofia e apaixonado por esportes

Leia também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.