Restos mortais que podem ser dos vigiais mortos em favela de Cabo Frio são encontrados

Restos mortais foram encontrados durante a operação Toxicity, deflagrada nessa quarta-feira (07), por forças de segurança de Cabo Frio. O objetivo era localizar os autores da execução dos dois vigiais do Espirito Santo, que no último dia 27 , foram sequestrados, torturados e obrigados a cavarem a própria cova, na Favela do Lixo. A ação foi realizada em áreas de dunas no Parque Estadual da Costa do Sol, que fica atrás da comunidade.
O local, formado por restingas, segundo as autoridades, tem sido usado para ações de traficantes, inclusive na execução de pessoas. A ossada, segundo a polícia, será encaminhada para exame de DNA.
A ação contou com 140 policiais, entre civis e militares, com o BAC (Batalhão de Ação com Cães), além do apoio terrestre e aéreo da CORE (Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil) e de guardas que fazem a segurança do Parque Estadual da Costa do Sol.
A Operação Toxicity foi realizada na Favela do Lixo, localizada no bairro Manoel Corrêa, e que também abrange área do Parque Estadual da Costa do Sol.
O objetivo da operação era cumprir nove mandados de prisão de suspeitos envolvidos no assassinato dos dois vigiais. Na ação, 17 pessoas foram presas. Segundo a polícia, houve troca de tiros. Um suspeito morreu durante confronto com os policiais. Nove presos já foram identificados por envolvimento no crime.
Durante varredura na comunidade e no parque, os policiais encontraram drogas, como maconha, cocaína e loló, cinco armas de fogo, dezenas de granadas artesanais, conhecidas como pedaleira, R$ 2 mil em dinheiro, caderno de anotações do tráfico de drogas, dois “jacarés” (ferramenta para estourar pneus), diversas munições , cápsulas de munições de Fuzil 7.62 curto.
No final da operação, o Delegado Titular da 126ª Delegacia de Cabo Frio, Sérgio Caldas, durante entrevista coletiva,  disse que um dos suspeitos envolvidos no crime, matou, dias depois, um borracheiro que teria contratado os serviços dos vigias. Segundo o delegado, esse borracheiro contratou o que eles chamam de vigilantes noturnos. “Isso chegou aos ouvidos dos traficantes que entenderam que isso era uma atividade da milícia, que poderia, de alguma foram, prejudicar as atividades criminosas na região, e mataram, também de forma covarde, o borracheiro”, explicou Caldas.
Sobre o caso
Héder Henrique, de 32 anos, e Luiz Paulo dos Santos França, de 29 anos, foram sequestrados na Comunidade do Lixo, em Cabo Frio, no último dia 27 de julho. Eles faziam panfletagem sobre uma empresa de vigilância e foram confundidos com milicianos de outras comunidades da cidade. Eles foram sequestrados, torturados e mortos por traficantes da Favela do Lixo.
Um terceiro vigia, que também chegou a ser levado pelos traficantes da comunidade, conseguiu fugir. O que escapou da tortura e que é irmão de um dos vigias sequestrados,  disse à polícia que eles foram obrigados a cavar a própria cova.
Na última segunda-feira (06), um carro e uma moto, que a polícia acredita ser dos vigias, foram encontrados carbonizados em São Pedro da Aldeia.

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.