Em Cabo Frio, 10ª edição Noise Fest neste domingo (21) reunirá muito rock da Região dos Lagos

Banda Garotos Podres será uma das apresentações do evento neste domingo (21) em Cabo Frio / foto divulgação

A cidade de Cabo Frio recebe neste domingo (21), a 10ª edição do Noise Fest, um dos mais tradicionais eventos de rock da Região dos Lagos. Com caráter beneficente e com atrações das bandas Garoto Podres, Gangrena Gasosa, Solstício, Immortal Sin e Ravengar, o Complexo Esportivo Aracy Machado, vai se transformar num palco de muito rock, a partir das 15h. A entrada antecipada custa R$ 20, mais um quilo de alimento não perecível. As doações serão revertidas à APAE (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais).

Segundo o idealizador e organizador do festival, professor José Francisco de Moura, o Chicão, são esperadas 400 pessoas para o evento e será uma edição comemorativa e uma grande oportunidade para que os roqueiros de Cabo Frio e região assistam as apresentações das bandas do Rock Nacional, Garotos Podres e Gangrena Gasosa, além de excelentes bandas da região. Haverá também distribuição de brindes, como tatuagens, pizzas e cerveja.

Os ingressos podem ser adquiridos nos seguintes pontos de venda:  Cabo Frio – Loja Ponto Musical (Avenida Teixeira e Sousa 1740, Centro) e Shopping Park Lagos – Quiosque Papaletras; Búzios – Pub Meu Lugar, em frente do INEFI da Rasa (sexta a domingo); São Pedro da Aldeia – Ótica Diniz – Rua Aluízio Martins 19, Centro; Araruama – Hobby Informática – Rua Major Félix Moreira 17, Centro; Arraial do Cabo – Peixaria da Sardinha – Rua Santa Cruz 17, Loja 3, Praia dos Anjos; Macaé – Loja Virgens e Vilões, Av. Rui Barbosa 741, Centro.

Sobre as bandas

Formado em 1990, Gangrena Gasosa acrescenta elementos da cultura afro-brasileira à música, misturando metal, hardcore e pontos de Candomblé. Já Garotos Podres é um dos ícones do punk rock nacional. Sua primeira apresentação, em 1983, foi num evento em apoio ao Fundo de Greve dos Metalúrgicos do ABC.

 Gangrena Grossa acrescenta elementos da cultura afro-brasileira à música, misturando metal, hardcore e pontos de Candomblé – Foto: Fabiano Soares

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.