Servidores da Educação entram em greve em Cabo Frio e Prefeitura responde à imprensa

Professores e servidores da Educação da Prefeitura de Cabo Frio declararam greve no último sábado (6) e ocuparam o prédio sede da Prefeitura nesta terça-feira (9).

Os protestos se dão, de acordo com representantes do Sindicato, por descumprimento de um acordo acertado entre as partes em maio deste ano. Em nota, a secretária de Educação Márcia Almeida afirma que tanto ela, como o prefeito Dr. Adriano Moreno, jamais se recusaram a receber os representantes do Sindicato da Educação, com os quais tiveram inúmeras reuniões, que resultaram, inclusive, em acordos, como o reajuste de 8% para a categoria.

Entre os pontos do acordo que, segundo o sindicato, não foram atendidos pela Prefeitura, estão também: pagamento de toda a categoria, conforme calendário publicado no Ofício de 16/05/2019. Sobre esse ponto, Márcia Almeida, na mesma nota, informa que, conforme já divulgado pela Prefeitura de Cabo Frio, cerca de 80% dos efetivos da Educação receberam os salários no quinto dia útil deste mês (5), com base em recursos provenientes do Fundeb. Os demais servidores efetivos da categoria estão com o pagamento agendado para a próxima sexta-feira (12). O salário dos profissionais contratados está previsto para o dia 19 de julho.

Marcia ainda afirma que a greve é um movimento democrático e legítimo, porém é preciso tomar cuidado, de acordo com ela, para que não seja transformada num espetáculo político do que considera como uma ação da oposição, e volta a afirmar que todos os salários estão sendo pagos dentro do mês e que os dias de atraso já foram justificados pela falta de recursos do município, que enfrenta uma crise financeira severa, deixada pelas gestões anteriores.

De acordo com a Prefeitura cerca de 10% das escolas aderiram à greve, números ainda não confirmados pelo Sindicato, que, por sua vez, reivindica que não sejam descontados os pontos da categoria em greve e ainda expõe mais reivindicações:

Pagamento do reajuste salarial emergencial de 8% na folha de junho para todos os ativos e aposentados e a realização de concurso público com publicação do edital ainda no primeiro semestre.

Os manifestantes usaram colchonetes durante o ato e ficaram deitados dentro da Prefeitura. O prefeito Adriano Moreno em entrevista à reportagem da Intertv reiterando os pontos já abordados pela nota oficial.

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.