Segundo ANP, cidades da Região dos Lagos e Norte Fluminense lideram repasse de royalties neste mês

Macaé lidera os valores dos repasses dos royalties, passando de R$ 41 milhões para R$ 48,5 milhões, seguido de Campos dos Goytacazes e Cabo Frio.

Porto da Petrobras no bairro Imbetiba, em Macaé / Divulgação

A ANP (Agência Nacional do Petróleo) divulgou os valores dos repasses dos royalties neste
mês. Cidades da Região dos Lagos, como Cabo Frio, e do Norte Fluminense, como Macaé e
Campos dos Goytacazes, lideram a lista.

O repasse de participações governamentais de royalties pagos em maio cresceu em relação
aos registrados em abril em todas as cidades da região.

Segundo a ANP, em relação ao mês de abril deste ano, entre as cidades da região, Macaé
liderou os valores de repasses de royalties, passando de R$ 41 milhões para R$ 48,5 milhões,
seguido de Campos dos Goytacazes, de R$ 27, 6 milhões para R$ 31,7 milhões e Cabo Frio, de
R$ 11,2 milhões para R$ 12,8 milhões.

Com altas de 22,7%, 19,4% e 18,1%, respectivamente, Casimiro de Abreu, Quissamã e Macaé
foram as que mais detectaram valorização nos repasses de royalties em relação a abril,
embora a alta em relação ao mês de maio do ano passado não tenha sido para Casimiro de
Abreu, que foi 5,72% e para Macaé, que chegou a 13,07%.

Segundo dados divulgados pelo blog de Roberto Moraes, Engenheiro e Professor do IFF
(Instituto Federal Fluminense) de Campos dos Goytacazes, Rio das Ostras também aparece
com alta de R$ 9,1 milhões em abril deste ano para R$ 10,6 milhões neste mês, São João da
Barra, com alta de R$ 8,2 milhões para R$ 9,3 milhões, Quissamã, com alta de R$ 7,4 milhões
para R$ 8,8 milhões, Armação dos Búzios, com alta de R$ 5,4 milhões para R$ 6,3 milhões
Casimiro, com alta de R$ 4,7 milhões para R$ 5,8 milhões Arraial do Cabo, com alta de R$ 4,1
milhões para R$ 4,8 milhões e Carapebus, com alta de R$ 2,9 milhões para R$ 3,4 milhões.
O Superintendente de Petróleo e Tecnologia da Prefeitura de São João da Barra, Wellington
Abreu, destacou que os números, porém não demonstram crescimento para todas as cidades
em relação ao mês de maio de 2018, como apontam as quedas de royalties de Campos e Rio
das Ostras, que registraram queda, respectivamente, 7,3% e 4,2% em um ano.

Todas as demais cidades da região apresentaram alta também em relação a 2018. Para Abreu, o
crescimento dos repasses dos royalties de abril a maio deste ano se deve ao aumento do valor
do barril do petróleo e também da cotação do dólar, valores utilizados para o cálculo dos
royalties pagos às cidades. Ainda segundo ele, os repasses foram impulsionados pelo câmbio
acima de R$ 3,75 (valor de US$ 1,00) e Brent acima de US$ 65 no decorrer do mês de março,

quando a média foi de US$ 67,03, segundo o site Investing, com um pequeno aumento de
2,8% na produção.

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.