Comissão de Direitos Humanos da Alerj denuncia governador Witzel

O governador Wilson Witzel divulgou um vídeo onde aparece junto com policiais sobrevoando de helicóptero a cidade de Angra dos Reis, e com snipers atirando contra a população. A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio (CDDHC) denunciou para a Organização dos Estados Americanos (OEA) a atitude do chefe do executivo estadual.

O governador do Rio de Janeiri, Wilson Witzel, publicou um vídeo onde aparece junto com policiais sobrevoando de helicóptero a cidade de Angra dos Reis, e com snipers atirando contra a população a pretexto de combater os bandidos. As imagens tiveram uma repercussão negativa e a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio (CDDHC) denunciou para a Organização dos Estados Americanos (OEA) este e outros casos envolvendo o chefe do executivo estadual.

O documento ressalta ainda que desde sua campanha ao Palácio Guanabara até os dias atuais Witzel sempre disse e estimulou que era preciso “abater traficantes”, construir a “nossa Guantánamo”, e “atirar nas cabecinhas” dos criminosos. A presidência da CDDHC classifica que esta política de estado tem como base “crimes contra humanidade, pena de morte e tortura, e que, por óbvio, contrariam a Constituição Federal”, segundo o documento.

Governador Witzel dentro do helicóptero com policiais. Foto: reprodução/Twitter

Para a presidente da comissão de Direitos Humanos da Alerj, a deputada Renata Souza, as declarações do governador estimulam a violência: “O Rio de Janeiro vive hoje o seu pior momento no que se refere aos casos de morte por intervenção policial, são mais de 400 casos só nos primeiros 4 meses do ano de 2019, é o maior número dos últimos 20 anos. O governador já fez inúmeras declarações públicas legitimando a letalidade policial dentro das favelas e periferias do Rio, o que nos faz pensar que esse aumento expressivo nos números de mortes por ação policial tem relação direta com a permissividade vinda do chefe do executivo”.

A chacina do Fallet Fogueteiro, favela do Centro do Rio e o caso do músico Evaldo que teve o carro fuzilado com 80 tiros são outros casos que a CDDH denuncia à OEA. A Comissão solicita às autoridades estrangeiras que exija das autoridades brasileiras uma declaração a respeito dos fatos apresentados e cobre do Estado Brasileiro ações concretas que reduzam os números de violações de direitos humanos relacionadas às operações das Forças de Segurança

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.

pendik escort kartal escort çekmeköy escort mersin escort türkçe altyazılı porno lezbiyen porno sex hikaye mersin escort bodrum escort