Tragédia rubro-negra

Cadê o futuro?

Em 123 anos de existência o Clube de Regatas do Flamengo jamais havia sentido uma perda tão grande quanto a que se passou no CT do ninho do urubu na manhã desta sexta-feira, dia 08 de fevereiro de 2019. Um incêndio no alojamento onde dormiam jovens jogadores de 14, 15 e 16 anos deixou 10 mortos e 3 feridos.

Segundo informações, tudo começou com um aparelho de ar condicionado que pegou fogo. Peritos analisam a possibilidade de curto circuito nas instalações elétricas. Dentre aqueles garotos que dormiam no alojamento e se salvaram, os depoimentos relatam pânico e correria. Difícil se orientar no início de uma manhã onde o fogo e a fumaça não dão trégua.

Era por volta das 7h quando os bombeiros conseguiram apagar o fogo. O alojamento estava destruído! E uma tristeza irreparável cobria o futebol.

Não sabemos ainda o número exato de pessoas que dormiam no alojamento no momento do incêndio. Mas as acomodações não estavam cheias já que os atletas do Sub-20 estavam de férias e aqueles das categorias Sub-15 e Sub-17 haviam sido dispensados, restando ali, apenas alguns deles.

O Flamengo jamais perdeu tanto! E, como ocorre nas derrotas dentro do campo, hão de procurar pelos culpados. O alojamento não tinha licença para funcionar naquele local e a prefeitura tampouco fiscalizava as atividades/construções irregulares. Ambos precisam responder por quê.

Lamento por esses jovens que tiveram seus sonhos roubados de forma tão cruel. E espero que, daqui para frente, clubes e autoridades públicas e privadas sejam pressionados a atuarem com respeito e seriedade. Enquanto não formos assim, sofreremos derrotas como essa, a pior de todas.

*Rafael Alvarenga é professor de Filosofia e apaixonado por esportes.

Leia também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.