Reunião extraordinária em Cabo Frio discute o desabastecimento de água

"A nossa meta é criar uma união entre os municípios que recebem serviços da Prolagos; e buscar a quebra de contrato”, disse o vereador Rafael Peçanha.

Na manhã desta quarta-feira (9), na Câmara Municipal de Cabo Frio, aconteceu a reunião extraordinária que discutiu o problema do desabastecimento na Região dos Lagos. Por conta das inúmeras reclamações de falta d’água desde o final do ano passado, a Comissão de Tutela Coletiva do legislativo municipal, comandada pela vereadora Letícia Jotta (PSC), convocou o encontro na tentativa de deliberar ações imediatas que possam começar a reverter a situação.

Foto: Divulgação

A concessionária responsável pelo abastecimento, a Prolagos, não compareceu e disse que não recebeu nenhum ofício sobre o encontro. Além de vereadores cabofrienses, teve um representante do legislativo de São Pedro da Aldeia, a vereadora Claudinha (PTB). Moradores de Cabo Frio e de São Pedro também foram representados. Todos foram unânimes em dizer que a situação é de emergência e pediram ações do legislativo.

Os vereadores deram mais atenção a que diz respeito à revisão no contrato da concessionária, previsto até o ano de 2041. Os parlamentares viram a necessidade de rever as chamadas “taxas de cobrança por estimativa”, quando não há uso frequente da água.

O vereador Rafael Peçanha (PDT), que entrou com uma ação no MP contra a Prolagos, comentou sobre a audiência. “Não apareceu nenhum representante da Prolagos, foram 10 vereadores de Cabo Frio e a vereadora Claudinha de São Pedro da Aldeia. População falou bastante. E a nossa meta é criar uma união entre os municípios que recebem serviços da Prolagos: Cabo Frio, São Pedro, Búzios, Iguaba e Arraial do Cabo; e buscar a quebra de contrato”, disse.

A Prolagos emitiu uma nota e disse não ter sido notificado. Confira na íntegra:

“A concessionária não recebeu ofício para participar da reunião ocorrida nesta manhã na Câmara de Vereadores de Cabo Frio. No entanto, a empresa participou ontem (8/1) de uma reunião convocada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, com as presenças do promotor Vinícius Lameira e representantes do Procon de Cabo Frio e de Arraial do Cabo, bem como, do Legislativo Cabofriense, que tomaram ciência de todas as ações que constam no Plano de Verão 2018|2019, protocolado na Agenersa, em setembro do ano passado.

Neste encontro foram apresentadas ainda as ações emergenciais, realizadas pela concessionária, em função da superpopulação que ultrapassou a média dos últimos cinco anos, tanto em quantidade de pessoas quanto do período de permanência na região.

Na ocasião, a Prolagos se comprometeu em ampliar em quase 30% a frota de caminhões-pipa. Os usuários que precisarem deste modelo de abastecimento devem entrar em contato pelos canais de atendimento da empresa – 0800-702-0195 ou pelo WhatsApp (22) 99722-8242. O frete não é cobrado e a quantidade de água fornecida é registrada no consumo mensal, ou seja, o volume colocado na caixa d’água ou na cisterna é somado ao que é consumido normalmente pela rede”.

Procon Cabo Frio protocola denúncia contra Prolagos no Ministério Público

PSOL Cabo Frio propõe CPI contra a Prolagos na ALERJ

“Durante reunião extraordinária sobre a falta de água que assola as cidades da Região dos Lagos, o representante da concessionária Prolagos “simplesmente” não foi! O que deixou ainda mais indignados e sem resposta cerca de 50 moradores do Jardim Esperança, Jacaré, Peró, Porto do Carro e o distrito de Tamoios, que estão sem água há cerca de 20 dias.

O PSOL Cabo Frio colocou a disposição sua bancada na ALERJ para abertura de uma CPI conjunta com as câmaras municipais e revisão do contrato da Prolagos, que vai até 2041. ‘Se a Prolagos não está aqui, é sinal que ela não serve mais a população. Esse contrato precisa ser revisto. Temos que ter coragem para enfrentar a Prolagos. Eu me coloco aqui hoje como representante do PSOL e nós temos uma bancada combativa!’, enfatizou a coordenadora do Setorial de Mulheres PSOL Lagos Carol Werkhaizer”.

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.