Vídeo de morador de Búzios sendo contido pela GM viraliza nas redes sociais

Segundo relatos de testemunhas a discussão teria iniciado depois que o morador tentou passar pelo bloqueio que conduz à Rua das Pedras e Turíbio em horário não permitido

print do vídeo que viralizou nas redes sociais

Na tarde desta sexta-feira (7), um morador de Búzios, Chita de Sá, foi imobilizado e conduzido à delegacia depois de tentar passar por um bloqueio que impedia a entrada de carros na Rua das Pedras.

Segundo informações apuradas pelo Prensa durante a manhã deste sábado(8) com moradores, testemunhas e a Prefeitura de Búzios, a discussão entre o morador e a Guarda Municipal (GM) se estendeu para rua Turíbio de Farias, atrapalhando a circulação de carga e descarga no centro da cidade.

Chita de Sá, alega na redes sociais que a GM teria agido de forma truculenta e que não teria respeitado o fato de seu neto, de apenas 4 anos, estar sozinho no carro, enquanto ele recebia voz de prisão e era conduzido à 127ª DP no bairro da Ferradura. As imagens de Chita sendo contido viralizaram nas redes sociais e mostram cinco guardas, e uma policial militar, na tentativa de contê-lo. Testemunhas afirmam que a guarda agiu com truculência e que a ação poderia ter sido conduzida de uma maneira menos violenta.

Ao Prensa Chita falou sobre o caso: “Venho sendo perseguido pela guarda há algum tempo por ser resistência e encarar o sistema, esse é meu jeito de trabalhar e de defender o pescador. Ontem de manhã eu fui levar uma roda de caminhão grande para colocar na carreta que puxa os barcos na praia. Fui com o meu neto. Os cones estavam com uma passagem aberta, sempre passo por ali, quando passei dez metros, a guarda me parou e que eu tinha que voltar, gritando. Expliquei que tinha casa e que passava para ir até a colônia. Discuti com ela, quando cheguei no carro, já não pude mesmo passar, e fui rolando a roda até o lugar, junto com o meu neto. Não aceitei aquele tipo de abordagem e voltei, foi onde virou violência de voz e fala, e no final, fui xingado e xinguei de volta. Eram quatro e cinco guardas, reagi porque não precisava me algemar, me deram chute, tapa na cara e spray de pimenta. Abuso de autoridade e de poder. Nada disso foi necessário. Resisti porque não queria ser algemado. Eu sempre sigo as regras ali. A Guarda não está preparada para as ações. Registrei na delegacia e vou processar a Guarda e o município. Sou trabalhador, não sou marginal.”.

Imagens das câmeras do Centro de Controle de Segurança de Búzios que circulam através de aplicativos de mensagem, mostram o momento em que Chita tenta passar pelo bloqueio de cones instalado pela Guarda. Nas imagens, pode ser vista uma conversa entre uma guarda e Chita, seguida de outros vídeos onde o carro do morador não é mais visto, mas a discussão segue em frente ao ponto de taxi, em direção à Rua Turíbio de Farias.Em outro vídeo, gravado por populares, já se pode ter o registro do atrito entre as partes.

Em nota a assessoria de comunicação da Prefeitura informou sobre o ocorrido:

“A Prefeitura de Búzios, por meio da Secretaria de Segurança Pública, vem esclarecer o fato ocorrido nesta sexta-feira ( 07/12/18), envolvendo agentes da Guarda Municipal e um cidadão. O acesso a Rua das Pedras se encontrava impedido temporariamente para a realização de um procedimento que a obstrui-a, o que irritou o morador e o levou a discutir com os agentes, conforme está registrado nas imagens das câmeras de segurança, chegou a utilizar de ofensas verbais, o que obrigou aos guardas municipais a contê-lo utilizando o uso progressivo da força e conduzi-o até à delegacia (127-DP) para registro de ocorrência.

A Prefeitura reafirma que o procedimento foi realizado dentro de regras e técnicas recomendadas, e que as imagens do sistema de segurança já foram analisadas e comprovada a versão dos guardas. Esperando ter elucidado qualquer dúvida sobre este episódio, estaremos à disposição em caso de haver ainda algum questionamento, e lamentamos que numa cidade pequena onde todos se conhecem, ainda ocorram fatos como este, pois os profissionais são autoridades constituídas para tratar da organização e proteção do patrimônio público e preservação da ordem”.

Leia também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.