Type Belial na Urbália

Mais uma intervenção do Urbália, com aquela troca de ideia com mais uma banda da Região do Lagos

Mais uma intervenção do Urbália, com aquela troca de ideia com mais uma banda da Região do Lagos, a Type Belial. Eles lançaram um EP recentemente, disponível no YouTube, na pegada grunge e nada mais justo do que trocar ideia com eles pra sentir como é ter uma banda por esse território. Vem que vem!

Quem é a Type Belial? Como vocês se definem?

Type Belial nasceu a dois anos, com intenção de acender a chama do grunge, com inovações na guitarra, com uma pegada mais agressiva na bateria e mais trabalhado do baixo, somos jovens dispostos a mudar e levantar a cena novamente.

Por que a opção de cantar em inglês?

Achamos a melodia pra música bem mais fácil se tratando do inglês, mas temos músicas em português também, mas vem do gosta mesmo. Nós adoramos outras línguas.

Entre os 10 artistas mais tocados nas rádios e acessados em stream, nenhuma é de rock. Vocês consideram bom ou ruim pro movimento e por quê?

Ruim, pois vemos muito desinteresse na cena do rock e pouca ajuda das rádios ou gravadoras para com o rock, mesmo assim acreditamos no “faça você mesmo”! Não espere por ninguém, corra atrás, isso e viver rock.

Vocês são jovens e ativos. Como veem o movimento de juventude na região?

O movimento da juventude da região dos lagos tem capacidade de ser forte e fazer muito pela cena, o que é necessário é uma união e divulgação melhor para que possa crescer e serem criadas novas ações culturais.

Tem espaço pra vocês tocarem por aí?

Até tem, mas tem muito pouco espaço para bandas autorais.
A maioria dos eventos que ocorre, os organizadores pedem pra tocar cover, oque dificulta o trabalho dos artistas\banda.

Quais são as maiores dificuldades encontradas por vocês por conta de serem músicos/artistas?

Uma das maiores dificuldades é a divulgação, pois a maioria dá mais atenção a artistas\bandas que já estão no cenário a um tempo ou que já tem um grande reconhecimento, e se esquecem dos artistas\bandas da região. Por trás do corre banda, eu (Trevoso) tenho outro corre no hiphop, e encontro a mesma dificuldade.

Dentre os próprios artistas, nem eles se ajudam, nem eles mesmos dão atenção a artistas como eles mesmo. Nós, a Type Belial em meio a tantas dificuldades, estamos conseguindo encontrar espaço, mesmo sendo pouco, para divulgar nosso trabalho.

O mundo é desse jeito mesmo ou temos outros caminhos?

Sempre buscamos fazer o melhor para todos a volta, sem que sejamos “recompensados”. Basta cada um ter empatia e sair de casa para pôr a cara a tapa para que possamos viver, quem sabe, em um mundo melhor.

Dabliueme, o ladrão de fonogramas na Urbália

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.