Turista relata caso de homofobia em ponto turístico de Cabo Frio

Prefeitura afasta funcionário de suas atividades

Há alguns dias, um grupo de 4 pessoas, entre elas um casal LGBT resolveram ir até o ponto turístico de Cabo Frio, o Forte São Matheus. Uma das pessoas, uma lésbica, relatou ter sofrido preconceito e homofobia por parte de um funcionário do local. A x contou passo a passo do que aconteceu, segundo ela.

“Eu moro em São Pedro da Aldeia, e no fim de semana vieram 2 amigos meus e da minha namorada, e a gente foi fazer um tour turístico de Cabo Frio. A gente chegou até o Forte São Matheus, entramos naquela galeria de fotos. Foi o primeiro contato que eu tive com aquele moço, que não estava uniformizado, ele não estava com nenhuma identificação de crachá e nada. Aí ta bom, voltamos pra fora, que estava escrito que não podia subir nos canhões e nem sentar no guarda corpo. A gente tava encostada ali no guarda corpo tirando foto, normal. Nesse momento esse meu amigo e essa minha amiga estava um pouco mais afastados e a gente foi abordado, eu e ela fomos abordadas por essa pessoa falando que aquele lugar não era pra gente ficar de putaria e muito menos ficar fazendo aberração a frente de criança”, relatou.

Ao serem abordadas, um casal com uma filha interviu a favor das meninas. “Nesse momento pais de crianças falaram que a gente poderia beijar sim, que não estava incomodando a eles e nem a filha deles. E foi quando começou uma discussão verbal, não houve agressão física, a minha voz está rouca de tanto que eu gritei com esse cara, ele não quis me passar o nome apenas falou que isso era uma ordem da chefia dele e que ele era um funcionário público”, disse.

O relato prossegue, onde ela se sente humilhada e que nunca mais irá voltar ao ponto histórico e turístico do município. “A gente foi completamente humilhada na frente de várias pessoas de pessoas que estavam ali no Forte. Falei pra ele que não tinha capacidade pra lidar com gente, devia estar dento de um escritório mexendo com papel, porque ele não sabe ligar com a diferença das pessoas e eu queria, que no mínimo, esse funcionário fosse chamado a atenção. Eu pesquisei um pouco e vi que Cabo Frio entrou no calendário internacional de parada gay, aqui existem milhares de pessoas LGBT. Eu tenho diversas amigas LGBT que frequentam e eu estou realmente muito enojada, realmente chocada com a falta de preparo de um funcionário em receber esse tipo de público. Que no momento que ele abortou a gente, ele ta ali realmente pra fazer a segurança, não deixar as pessoas subirem no canhão e ali no guarda corpo, e na hora que ele abordou a gente tinha um monte de pessoas sentadas no guarda corpo, sentadas no canhão e ele se incomodou com apenas um selinho que eu dei na minha namorada, que foi pra tirar uma foto. Eu não quero nem mais voltar no Forte São Matheus”, desabafou.

Nota da prefeitura

Após receber informações sobre a denúncia, a subsecretária de Cultura, Meri Damasceno, se reuniu com o funcionário para apurar o caso. Para evitar outros incidentes, o mesmo foi afastado das funções no Forte São Matheus.

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.