Confira os municípios que mais renderam em julho royalties de petróleo na Região dos Lagos

Macaé, Campos, Rio das Ostras, Cabo Frio, Arraial do Cabo e Búzios encabeçam a lista.

Com a parcela de mais de R$ 56 milhões, repassada pela Secretaria de Tesouro Nacional em julho Macaé ainda é a cidade que mais arrecada com os royalties do petróleo em todo o Estado do Rio de Janeiro. Não consta nesse valor os mais de R$ 2 milhões que o município recebe de participações especiais.

De acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Macaé registrou neste mês uma das maiores arrecadações com o petróleo no ano, o que representa a recuperação do valor do barril do petróleo no mercado internacional, assim como a manutenção da capacidade de produção das reservas da Bacia de Campos.

Campos dos Goytacazes, que já liderou o ranking da cidade que mais faturava com as compensações do petróleo, recebeu a parcela de R$ 41 milhões em royalties. Campos também recebe mais R$ 41 milhões em participações especiais.

Já é possível perceber um aquecimento na economia do setor macaense, porém de acordo com o economista e empresário offshore, Carlos Andrade Nascimento ainda é cedo para especulações.

“O mercado está se recuperando lentamente então os repasses dos royalties vão acompanhar o momento positivo internacional offshore. Porém, não podemos ser levianos e esperar a bonança que estávamos a 5 anos atrás. Uma derrocada dessas leva tempo para se recuperar e ainda estamos caminhando para a recuperação econômica parcial”, analisou o economista.

No último mês, Rio das Ostras recebeu mais de R$ 13 milhões em repasses de royalties.

A cidade de Cabo Frio e Armação dos Búzios receberam, respectivamente, R$ 14 milhões e R$ 6 milhões em repasses.

O que são royalties e participações especiais?

Os royalties do petróleo, que são o percentual calculado sobre a produção que as companhias que exploram o óleo pagam à União, estados e municípios, são definidos pela atual legislação do petróleo como forma de compensar o uso de um recurso natural que é caro, escasso e não-renovável. A atual forma de compensação do poder público está em vigor desde 1998.

Além dos royalties, existe também uma compensação chamada “participação especial”, paga em áreas com alto potencial de produção e rentabilidade. É uma compensação extraordinária paga para municípios onde se localizam campos petrolíferos de grande volume de produção. Apenas 31 cidades recebem e duas, entre elas Maricá, têm como maior fonte.

Confira a lista dos municípios que recebem repasse de royalties e participações especiais:

Royalties por Município:

  • Armação dos Búzios –  R$ 6.708.087,99
  • Arraial do Cabo –  R$ 4.783.461,53
  • Cabo Frio –  R$ 14.004.744,24
  • Campos dos Goytacazes –  R$ 41.880.509,72
  • Carapebus – R$ 3.903.761,48
  • Casimiro de Abreu – R$ 6.721.938,62
  • Silva Jardim – R$ 2.203.299,45
  • Macaé –  R$ 56.568.434,42
  • Maricá – R$165.160.491,05
  • Quissamã – R$6.622.054,80
  • Rio das Ostras – R$13.836.711,17
  • Rio de Janeiro – R$16.177.510,04

 

Participações Especiais por município: (referência: fevereiro/2018)

  • Armação dos Búzios –  R$1.151.514,49
  • Arraial do Cabo –  R$36.967,96
  • Cabo Frio –  R$7.232.439,68
  • Campos dos Goytacazes –  R$41.276.996,97
  • Carapebus – R$9.065,59
  • Casimiro de Abreu – R$1.746.269,22
  • Macaé –  R$2.483.975,79
  • Maricá – R$165.160.491,05
  • Quissamã – R$243.024,98
  • Rio das Ostras – R$6.551.448,04
  • Rio de Janeiro – R$27.088.069,25

Macaé está entre as cidades que menos investe os recursos dos royalties

Leia também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.