Museu de Arte Religiosa e Tradicional é berço de história e tradição em Cabo Frio

O espaço de arquitetura franciscana já abrigou frades portugueses e brasileiros

Inaugurado em 1982, o Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (MART) é um dos pontos turístico-culturais mais importantes na história da cidade de Cabo Frio. O local sediou durante muito tempo o Convento Nossa Senhora dos Anjos e abrigou frades portugueses e brasileiros, além de uma escola de noviciado. Com arquitetura franciscana, começou a ser edificado em 1686, o acervo é constituído por imagens em terracota e madeira policromada dos séculos 17 e 18. Também possui obras de referência do século 19 restauradas recentemente.

Quem visita o museu hoje, encontra a exposição temporária “Viva Santos Reis!”. O antropólogo e curador Daniel Arrebola traz diversos objetos das Folias de Reis da região sudeste reunidos durante anos de pesquisa. Em parceria com fotógrafos regionais, a exposição mostra imagens de diversos grupos, destacando suas diferenças regionais; e inúmeros objetos, indumentárias, máscaras, bandeiras e instrumentos das Folias. A Região dos Lagos está representada na exposição pelas Folias de Reis de São Cristóvão, Estrela do Oriente de Arraial do Cabo e Estrela Dalva, da Praia do Siqueira. A mostra fica aberta ao público até o dia 07 de julho.

Além de exposições temporárias, o local possui elementos preservados do antigo Convento e imagens religiosas dos séculos 17,18 e 19, várias delas entregues ao museu por moradores da região. Em 2017, a antiga edificação religiosa completou 331 anos e o MART lançou o livro “Cabo Frio – 400 Anos de História (1615-2015)”, disponível para download gratuito, que reúne textos de historiadores locais sobre a Baixada Litorânea Fluminense, o Convento Nossa Senhora dos Anjos e o museu.

O Mart está localizado no Largo de Santo Antônio e funciona de terça-feira a sexta-feira, das 10h às 17h, e sábados e feriados, das 14h às 18h. O agendamento de visitas guiadas acontece pelo telefone (22) 2646-7340 ou pelo e-mail [email protected]

Fonte: Instituto Brasileiro de Museus (Ibram)

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.