Prefeitura de Búzios afirma que vai reabrir vagas e turmas do Paulo Freire

Estudantes não finalizarão a ocupação na segunda-feira após governo cumprir a promessa

Na manhã desta sexta-feira (09), houve uma reunião no Ministério Público com o Procurador do Município, os diretores do Colégio Municipal Paulo Freire e representantes da ocupação para esclarecimentos e suposto acordo de consenso entre os estudantes e a Prefeitura de Búzios. Em documento disponibilizado pelo MP, a prefeitura garante que após desocupação reabrirá as matriculas do turno da noite e os demais turnos acatando a liminar, quanto para o INEFI que teve o ensino médio noturno encerrado.

No inicio da semana representantes da prefeitura comunicaram informalmente que estavam acatando a liminar no INEFI e que as matrículas do colégio para o turno da noite estavam abertas. Segundos os estudantes, ao apurar a informação a secretaria estava apenas coletando o nome e contato dos estudantes, e que só formariam turmas caso houvesse estudantes suficiente para formá-la. Apesar da liminar a favor do ensino médio e o decreto aprovado nessa última quinta-feira (08) na Câmara (vetando a decisão do prefeito), os estudantes e moradores querem a garantia de não ter falsas matrículas, como é o caso do INEFI.

PROPOSTAS APROVADAS EM ASSEMBLEIA

-Estudantes permanecerão ocupando o C.M Paulo Freire e permitirão que na sexta-feira (09) o diretor e os demais funcionários entrem na secretaria para pré-organizar o processo de matriculas, para que na segunda-feira já possam ser efetuadas

– (Sexta-feira [09]) Panfletagem no centro de Búzios, e na porta do Colégio Estadual João de Oliveira Botas para informar aos estudantes e comunidade a abertura de “pré-matrícula” no INEFI e suposta futura reabertura de matrícula no Paulo Freire

– Estudantes só desocuparão o colégio na segunda-feira (12) após serem realizados os primeiros atos de matrícula e rematrícula para o turno da noite e as demais turmas fechadas.

– (Segunda-feira [12]) Ato 17h no centro de Búzios por
melhorias na educação municipal.

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.