Casimiro de Abreu aposta em Ivermectina para combater Covid-19

Apesar de fazer parte do protocolo de tratamento da doença pelo Governo Federal, não há até agora comprovação científica de que o medicamento previna ou trate a covid-19

“A Farmácia Central de Casimiro de Abreu já tem Azitromicina e Ivermectina suficientes para abastecer todo o Município.”, nesse tom festivo começa o release enviado pela Prefeitura de Casimiro de Abreu e também publicado em seu site oficial. Uma publicação também foi feita na página do município no Facebook. Teve muitos comentários negativos e foi retirada do ar.

A publicação foi retirada do ar após a grande quantidade de comentários negativos

Ivermectina, o medicamento, que originalmente é usado contra parasitas, chegou nesta quinta-feira (14) e será distribuído para todas as farmácias que integram a rede pública municipal: Centro, Professor Souza, Rio Dourado, Palmital e CREM, de Barra de São João. Também será distribuído Azitromicina.

“Os medicamentos são suficientes e foram obtidos com recursos próprios e do SUS”, informa a coordenadora municipal de Farmácias, Catia Lemos.

Segundo Catia, a falta desses remédios, que fazem parte do protocolo de tratamento da Covid-19 realizado pelo Governo Federal -mesmo sem comprovação cientifica de sua eficácia no tratamento da doença – gerava reclamações por parte dos usuários.

“A medicação foi entregue agora. A população tinha necessidade de urgência nessa aquisição”, afirmou a coordenadora.

Alguns dos comentários da publicação retirada do ar

Várias cidades do país já fizeram igual, mas surpreendeu que o anúncio da compra desses remédios se desse agora em que a corrida pela vacina, a única certeza de imunização com comprovação cientifica, esteja no auge do debate público no momento em que o sistema de saúde de Manaus, no Amazonas, está em colapso devido a pandemia e, até que ocorra a imunização via vacina, a forma mais eficaz de prevenção é a utilização de máscaras, higiene das mãos e distanciamento social.

Assim como a Cloriquina, outro medicamento sem evidências cientificas de eficácia, as buscas pela vermectina no Google dispararam. Em algumas farmácias, ele sumiu das prateleiras. E as fabricantes reforçaram a produção para dar conta da demanda.

Esse interesse parece ter sido resultado de uma série de fatores. Um estudo preliminar feito em laboratório teve bons resultados. O acesso a outros remédios alardeados como uma suposta cura para a covid-19 passou a ser controlado.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez menções à ivermectina, e muitas mensagens circularam no WhatsApp recomendando seu uso “para prevenir o contágio”.

Além disso, alguns médicos vêm recomendando, nos consultórios e na internet, que as pessoas a tomem para evitar ou tratar a covid-19.

Ao todo, a Secretaria de Saúde de Casimiro de Abreu informou que comprou 33.600 unidades de Azitromicina 500mg, 1.136 unidades de Ivermectina 6mg e 1200 unidades de Azitromicina Suspensão, de uso pediátrico. Para obter a medicação, de acordo com a publicação, basta o paciente se dirigir a uma farmácia municipal de seu bairro ou região; apresentar a receita médica e retirar os remédios.

PRENSA 970X250 GOOGLE CONTEMPLADO INTERTEXTO BARRA
Comentários